Isotônicos realmente ajudam a curar a ressaca?

Por Cassie Shortsleeve – Women’s Health EUA

isotônico ajuda a curar ressaca
Foto Shutterstock

Todo mundo tem aquela bebida que dizem ser milagrosa para a ressaca – de isotônico a água de coco. As pessoas garantem que elas aliviam os sintomas daquela bebedeira, passando pela dor de cabeça mortal até o enjoo. E a maioria dessas apostas geralmente vem cheias de eletrólitos, que são minerais que ajudam você a ficar hidratada (além de fazer outras coisas importantes no seu corpo).

Então, até que tomar uns goles de uma bebida com eletrólitos faz sentido: se passou a noite toda enchendo a cara, é possível que esteja desidratada. Recorrer aos líquidos e muito necessitados eletrólitos só podem fazer você ficar melhor. Certo?

Hummm, especialistas não têm tanta certeza se a ressaca é tão simples de resolver. Eles não sabem se beber muito da “coisa certa” faria o seu corpo entrar em equilíbrio após uma noite bebendo “a coisa errada”.

Por que você fica com ressaca?

Aquela sensação de dor e náusea? “Ela começa quando os níveis sanguíneos retornam ao zero”, diz Stacy Sims, fisiologista do exercício, dos Estados Unidos. Quando isso ocorre, bate a desidratação. Isso acontece porque o álcool tem efeito diurético no seu organismo, levando você ao banheiro para fazer xixi, então você está com poucos fluidos depois de uma noite de bebedeira.

Mas a raiz do seu desconforto está no fato de que o etanol (um tipo de álcool encontrado em bebidas) atravessa a barreira sangue-cérebro, mexendo com muitos dos sistemas do seu corpo. Por exemplo: seu fígado precisa fazer hora extra para metabolizar o etanol e seu tóxico subproduto, o acetaldeído, que o seu organismo cria após uma noite de drinques. (O acetaldeído é a principal razão da sensação de quase-morte que você sente no dia seguinte, como a náusea, o coração acelerado e o rosto avermelhado). Você está com o açúcar desregulado e com compostos inflamatórios boiando no seu corpo, o que pode, claro, dar uma sensação de ressaca master.

Leia mais

Descobrimos 8 fatores que fazem sua ressaca ser pior ainda
Xô, ressaca! Livre-se do mal-estar com ajuda desses 4 alimentos

E não vamos nos desligar do fato de que você deve ter dormido mal, se ficou acordada até tarde. O álcool também trabalha contra a qualidade do sono. “Muitos desses sintomas devem durar até o fim do dia seguinte à bebedeira, já que bagunçam com a fisiologia natural do corpo”, alerta Stacy.

Outra razão para os seus sintomas?

Beber muito álcool pode impactar a função hormonal do corpo, diz Ginger Hultin, uma nutricionista de Seattle (EUA). Consumir muito álcool pode contribuir para um aumento dos níveis do hormônio do estresse, o cortisol, além de diminuir um hormônio anti-diurético (ADH), que auxilia a regular a pressão sanguínea e reduz a quantidade de vezes que você vai ao banheiro. Pense no quadro geral: seu corpo está sob estresse, a pressão subiu e você está fazendo mais xixi (deixando-a desidratada). Boa coisa? Não.

Entro com a minha bebida anti-ressaca. Tomar uma vai me livrar dos sintomas?

Em resumo, algumas bebidas podem ajudar, mas não há garantia de que você vai de 0 a 100. Esses líquidos visam repor eletrólitos – sódio, potássio, fósforo, cálcio e magnésio – e frequentemente auxiliam a regular os fluidos no organismo. Os eletrólitos ainda ajudam na comunicação dos seus sistemas e células.

Então se você está com eletrólitos reduzidos em razão de não ter bebido muitos fluidos (inclusive a água) a não ser drinques, repô-los pode ser uma saída. “Se a razão da sua ressaca realmente é a falta de equilíbrio dos eletrólitos, repô-los parece uma boa ideia”, diz Ginger. Mas a detecção é difícil: você só descobre se há falta deles com um exame de sangue.

E mais: as causas dos sintomas da ressaca são incrivelmente complicadas e multifacetadas. Então simplesmente apostar na falta de eletrólitos não é a melhor saída. Ainda, alguns pesquisadores descobriram que eletrólitos não mudam tanto assim após uma noite de bebedeira, diz Ginger, contrariando a crença popular. “É claro que todos metabolizamos o álcool diferente, mas bebidas isotônicas podem não ser a cura que você está buscando.”

Cientistas têm estudado as ressacas e, até agora, não foram encontradas alternativas mágicas para elas. Isso dito, se você fica bem depois de um isotônico quando acorda com o gosto de cabo de guarda-chuva da boca, aproveite! Rehidratar e usar repositores de eletrólitos não fará mal, diz Ginger.

Mas a hidratação em si já é alguma coisa, certo?

Claro! Quando você bebe álcool, faz mais xixi, o que deixa seu corpo precisando de muita água. E se você apenas bebe água pura, sua bebida anti-ressaca com eletrólitos pode dar uma ajudinha extra. “Você precisa de um pouco de sódio para absorver os fluidos, e o pouco de açúcar encontrado nesses isotônicos ajuda com os índices de glicose”, explica Gonger.

Se vai apostar em isotônicos, encontre um com 1.5 a 3% de carboidratos e com sódio. Ou pode tomar água pura e ingerir alimentos com eletrólitos (frutas, vegetais e sementes).

O que mais posso fazer para curar a ressaca?

Descanse e se hidrate – dê tempo ao corpo (e mente) para se recuperar. Você se divertiu e seu organismo está pagando por isso. Está tudo bem!

E mesmo que aquele hamburguer (completão!) pareça uma alternativa deliciosa, tente ao máximo comer o mais saudável que conseguir. “O corpo foi exposto a uma toxina e precisa ser limpo.”

Beber de novo? Passe. “Nunca recomendo beber novamente no dia seguinte para curar uma ressaca”, explica Ginger. “Você pode ser pega em uma ciclo vicioso e acabar muito pior quando uma ressaca dupla bater.”