Descobrimos 8 fatores que fazem sua ressaca ser pior ainda

Por Cassie Shortsleeve e Emily Shiffer – Women’s Health EUA

Fatores que podem fazer sua ressaca ser pior ainda
Foto Shutterstock

As primeiras coisas que você imagina ao acordar depois de uma noite intensa de bebedeira provavelmente são “o que eu fiz para estar tão mal” e “quanto tempo dura essa ressaca”?

Normalmente, ela só dura ao longo da manhã, até que você finalmente consiga comer a primeira refeição.  Mas algumas outras vezes ela pode se estender em até dois dias (e isso, certamente, te faz lembrar que não está mais na faculdade!).

Mas por que a ressaca é tão horrível?

“Ela é um pouco mal compreendida do ponto de vista médico”, diz Fred Goggans, diretor médico do McLean Borden Cottage, em Mcdenean Hospital (EUA). Na maior parte, os sintomas são considerados uma forma de recuperação a curto prazo e tendem a não durar tanto.

Seu fígado também tem que trabalhar horas extras para processar o álcool. “Ele precisa, primeiro, quebrar o álcool em acetaldeído, que é tóxico”, diz Anne Boris, médica do Northwestern Medicine Huntley Hospital (EUA). “Então, ele quebra o acetaldeído em acetato, que não é tóxico.”

Se uma pessoa bebe demais ou se seu fígado não está funcionando eficientemente, o corpo não pode transformar o acetaldeído em acetato rápido o suficiente. É aí que a ressaca entra em ação.

Leia mais

Xô, ressaca! Livre-se do mal-estar com ajuda desses 4 alimentos
Mais sabor, menos ressaca: aprenda a fazer 3 drinques leves

Goggans também diz que a intensidade e duração de sua ressaca andam de mãos dadas com a quantidade de álcool que você bebeu. Além disso? “Há também alguns outros fatores que são especulados para influenciar nisso”, diz ele.

Mas por que algumas ressacas duram um tempo razoável e outras não? Aqui estão alguns motivos.

8 fatores que podem fazer sua ressaca ser pior ainda

1. Você não bebeu água suficiente

“O álcool tem um efeito diurético. Beber muito pode maximizar isso”, diz Vincent Pedre, médico nos Estados Unidos. Beber pode desidratar você, ainda mais se estiver vomitando ou com diarréia. “E isso, além dos desequilíbrios minerais (do influxo de álcool e perda de líquidos e eletrólitos), pode retardar a rapidez com que seu corpo se desintoxica”, explica ele.

Facilite sua vida mantendo-se hidratado. Uma boa dica é alternar cada copo de bebida com um copo de água. Também certifique-se de continuar tomando água mesmo quando não se sentir bem no dia seguinte.

2. Você teve uma péssima noite de sono

Você sabe que um bom sono pode ajudá-la a se sentir melhor. Mas você pode não perceber que, embora algumas taças de vinho possam colocá-la para dormir, a bebida certamente não a ajudará a tirar sua soneca mais profunda. “As pessoas tendem a interromper o sono após um episódio de bebida”, diz Goggans. E tudo se resume a um círculo: quanto mais você bebe, pior você dorme e, então, pior se sente no dia seguinte (e às vezes no dia seguinte).

3. Você bebeu uma bebida escura

“Elas costumam ter congêneres (componentes biologicamente ativos presentes em muitas bebidas) aromatizantes ou subprodutos da fermentação na bebida e estão ligadas a ressacas”, diz Goggans. “Parece que os congêneres nos licores e bebidas mais escuras estão associados a uma ressaca mais longa”, diz ele.

“Mas que fique claro que isso inclui uísque, rum, vinho tinto e conhaque”, diz Goggans. Os menos propensos a causar uma ressaca são vinho branco, vodka e gin.

4. Você está ficando mais velha (desculpe, mas é verdade)

“Se você tem 21 anos, sua capacidade de desintoxicar o álcool é diferente do que se você tivesse 40 (ou mesmo 28)”, diz Pedre. “À medida que envelhecemos, nossas células envelhecem, e podemos não ser capazes de processar toxinas como quando éramos mais jovens”, completa ele. Então, enquanto três bebidas eram algo tranquilo para você há alguns anos, essa quantidade pode fazer você ter uma ressaca daquelas 10 anos depois.

5. Você tem sensibilidade, mas não percebe

Muitas pessoas têm sensibilidade a certos alimentos ou produtos químicos que nem conhecem. “A cerveja, por exemplo, é feita com cevada e lúpulo (ou seja, glúten). Você pode ser intolerante sem nem imaginar”, diz Goggans.

6. Você bebeu com o estômago vazio

“O álcool pode irritar o revestimento do estômago, o que piora qualquer náusea, dor abdominal ou vômito induzidos pela ressaca”, diz Boris.

“A bebida também pode afetar o açúcar no sangue”, diz Chaun Cox, MD, médico na Mayo Clinic Health Systems (EUA). “Ela é uma grande onda de calorias e açúcares simples, podendo aumentar seu açúcar no sangue e fazê-lo cair”, completa. Ele acrescenta que não ter comida no estômago antes de beber pode fazer com que esses níveis aumentem ainda mais drasticamente.

A solução? Comer um pouco de algo relativamente saudável antes de beber para retardar a absorção do álcool.

7. Você está menstruada

“Seu corpo já está um pouco sobrecarregado durante o período menstrual e, como o álcool pode desidratá-lo, ele pode esgotar ainda mais sua energia nessa época”, diz Cox.

8. Você está tomando medicação

Muitos medicamentos são metabolizados pelo fígado e pelos rins – os mesmos órgãos que seu corpo usa para metabolizar o álcool. Isso pode fazer com que esses dois órgãos trabalhem horas extras e possivelmente não tenham o melhor desempenho.

“Analgésicos como paracetamol, antidepressivos, medicamentos para colesterol e para pressão arterial são os que você deve ter um cuidado especial”, diz Cox. “Os antibióticos também podem afetar o modo como o corpo processa o álcool”, completa.

Ele explica que, embora não seja um problema com todos os antibióticos, alguns podem causar náuseas, danos ao fígado e pressão alta quando combinados com álcool. Portanto, é melhor verificar com seu médico se o seu medicamento específico interage com a bebida.