É possível ficar grávida mesmo tomando pílula anticoncepcional?

Por Mallory Creveling – Women’s Health EUA

Ficar grávida tomando pílula
Foto Shutterstock

Acredito que essa não seja a resposta que você gostaria de ouvir, mas sim, você pode ficar grávida mesmo tomando pílula.

Prevenir a gravidez não é a única função do anticoncepcional, porém é um fator importante para muitas pessoas. E quando você usa pensando nisso, é claro que espera não engravidar. Contudo, os contraceptivos orais não são 100% eficazes contra a gestação. Na verdade, cerca de cinco a nove em cada 100 mulheres engravidam da pílula, de acordo com o U.S. Department of Health and Human Services.

Um chute no estômago, né? Mas não comece a surtar – ainda. Por mais que haja a possibilidade da gestação, isso é bem improvável. Abaixo, listamos tudo que você precisa saber sobre o tema.

Como posso ficar grávida tomando pílula?

Tudo se resume a como você toma a pílula: “uso perfeito” versus “uso típico”. O uso perfeito, por exemplo, é tomá-la todos os dias aproximadamente no mesmo horário, sem falhar. Essa é obviamente sua melhor aposta para ficar livre da gravidez. De acordo com o Planned Parenthood, quando ela é usada perfeitamente, oferece 99% de eficácia.

“Se você tomar todos os dias fielmente, você estará bem”, diz Mary Jane Minkin, médica e professora clínica de obstetrícia, ginecologia e ciências reprodutivas na Yale School of Medicine (EUA). “Mas o problema é que somos humanos, e as pessoas esquecem as pílulas ocasionalmente.”

Leia mais

Quer parar de tomar pílula? Então aposte neste passo a passo
Adeus, pílula: É hora de largar os hormônios de vez?
Tomar pílula pode deixar você depressiva?

É aí que o uso típico entra em jogo. Digamos que você pule uma ou duas pílulas uma vez por mês, ou tome mais tarde do que o normal (em apenas três horas a eficácia da pílula já diminui). Esse fator já abaixa a eficácia da pílula para 91%.

O tipo de medicação que você toma também é importante. Pílulas combinadas – aquelas que contêm estrogênio e progestogênio – são um pouco mais eficazes do que as pílulas só de progestogênio, que são bastante sensíveis ao tempo.

Isso porque as pílulas só de progestogênio funcionam pelo espessamento do muco cervical e pelo adelgaçamento do revestimento do útero, de acordo com o HHS. Isso impede que os espermatozóides cheguem ao óvulo. Contudo, este muco cervical pode começar a diminuir, mesmo depois de uma dose esquecida. Por isso, o HHS recomenda o uso de outro método, como preservativos, caso você perca uma dose em até três horas.

As pílulas combinadas, por outro lado, impedem que os ovários liberem óvulos, além do espessamento do muco cervical e do revestimento do útero. É por isso que você normalmente tem uma semana sem as pílulas – as combinadas têm um pouco mais de poder de permanência.

A maneira como seu corpo responde às pílulas perdidas também é diferente para cada tipo. Se você esquecer de tomar uma combinada, tome-a assim que se lembrar (ou, se estiver mais perto da próxima dose, tome duas). Já para pílulas só com progestogênio, tome assim que se lembrar – mas não tome duas ao mesmo tempo. Em vez disso, comece a tomar pílulas novamente como faria regularmente e use outra forma de prevenção por dois dias.

Certos medicamentos também podem tornar a sua pílula menos eficaz, como antibióticos, antifúngicos e medicamentos anticonvulsivos, de acordo com a Planned Parenthood. Se você começar a tomar qualquer um desses, verifique com seu médico para se certificar de que seu controle de natalidade não está em risco.

Então, como posso ter certeza de que meu método contraceptivo é eficaz?

Mais uma vez, tome todos os dias, no mesmo horário. “Uma maneira fácil de manter isso é adotar como parte de sua rotina”, diz Minkin, que sugere tomar a pílula depois do café da manhã – um momento ideal para usar qualquer remédio.

“Mas se você sempre se esquece, pode querer considerar um tipo diferente de contraceptivo”, diz Minkin. O Nuvaring (anel vaginal) e o adesivo funcionam da mesma forma que a pílula, mas não precisa se lembrar de nada no dia a dia. Ou, então, opte por um método de longa duração, como o DIU. Ele pode durar até 12 anos, dependendo do tipo de paciente.

Ok, mas o que acontece se engravidar da pílula?

“Pare de tomar as pílulas imediatamente”, orienta Minkin. Embora o risco de defeitos congênitos em todos os casos – inclusive naqueles que não a pílula não era tomada – seja de cerca de 3%, pode haver um risco maior ao usar contraceptivos durante a gravidez”, diz ela.

“Nós nunca podemos dizer se alguma malformação foi devido à pílula ou a qualquer outra coisa”, diz Minkin. “Há um risco muito pequeno, mas não é zero”. Depois disso, verifique o seu médico para descobrir os próximos passos.