O que causa a libido baixa em mulheres e como aumentá-la, segundo especialista

Por Dra. Alyssa Dweck - Women's Health EUA

libido baixa
Foto: Shutterstock

Não está com vontade de dividir a cama esta noite? Não entre em pânico ainda. A libido nas mulheres é complicada. Há uma série de fatores que influenciam o desejo sexual e afetam o motivo pelo qual você pode não querer fazer sexo (hoje à noite, nesta semana ou até nos últimos meses).

Mas, se essa for uma preocupação mais persistente e estiver causando angústia, vale a pena aprofundar e discutir com um profissional médico de confiança. O ginecologista é a primeira parada para a maioria das mulheres. Sua libido pode estar diminuindo devido a algo tão comum quanto o estresse ou o método de contracepção que você está usando.

Mas também pode ser um sinal de um problema de saúde maior. Você não saberá a causa subjacente ou como resolvê-la até chamar a atenção do seu médico para o problema. Ok, agora vamos mergulhar mais fundo.

Explicações para estar com a libido baixa

Primeiro, quero lembrá-la de que não existe um desejo sexual “normal”. Analise as estatísticas sobre a frequência com que outras pessoas costumam fazer sexo com um pé atrás: isso varia para todos (e, ei, as pessoas mentem!). O desejo sexual feminino é sutil e sua libido aumenta e diminui naturalmente.

1Ovulação

Por exemplo, você pode ter um desejo sexual maior na época da ovulação (a maneira do corpo pedir para você se divertir durante o período fértil, mesmo se não estiver tentando engravidar ativamente). Ou talvez você não sinta vontade de ser sexualmente ativa durante outros períodos do mês, como quando está menstruada. Porém praticar sexo menstrual também pode ser divertido.

2Libido baixa: medicamentos

Você também pode experimentar alterações nos seus hormônios ou nos níveis de neurotransmissores por meio de certos medicamentos que está tomando. Antidepressivos, por exemplo, podem diminuir seu desejo ou alterar sua capacidade de atingir o orgasmo, que, por sua vez, pode interferir no seu desejo sexual. O mesmo pode acontecer se você tiver uma condição hormonal subjacente, como um distúrbio da tireóide ou uma síndrome dos ovários policísticos (SOP).

3Pílula contraceptiva

Outro fator quando se trata de desejo sexual que pode ser que você não esperava é o controle de natalidade hormonal. A maioria das pílulas, ou adesivos e anéis, contém os hormônios estrogênio e progesterona, necessários para regular o seu ciclo. O que a pílula está fazendo é impedir a ovulação. E, como resultado, os picos e quedas típicos desses níveis hormonais não ocorrem, então você não está experimentando esse aumento de estrogênio durante a ovulação, que é normalmente o que faz as mulheres quererem fazer sexo durante o período fértil.

Além disso, a quantidade de testosterona que você produz também diminui naturalmente significativamente se você estiver tomando a pílula, o que também pode fazer com que sua a libido diminua.

Para outras mulheres, porém, sentir-se confiante e segura com seu método de controle de natalidade pode fazê-las se sentirem mais a vontade de fazer sexo. Realmente depende da pessoa e de seus níveis hormonais específicos.

4Libido baixa: Mudanças de vida

Grandes mudanças na vida podem afetar seu desejo sexual. Se algum familiar morreu, se você perdeu um emprego recentemente ou se estiver passando por um período de depressão, a libido pode cair. Se a sua saúde mental ou circunstâncias emocionais podem ter algo a ver com isso, você pode precisar ser gentil consigo mesmo e trabalhar com um profissional de saúde mental para resolver o problema.

Também é totalmente possível que você esteja apenas em uma rotina de baixa auto-estima e não esteja se sentindo tão sexual. O importante é que é importante ser honesto com seu ginecologista e/ou terapeuta sobre todos esses fatores, para que eles possam considerar todos as questões possíveis que podem estar afetando sua libido.

5Ou, na verdade, você pode ter um distúrbio de desejo sexual hipoativo

Além dos fatores contribuintes típicos para a baixa libido, você pode estar mostrando sinais de uma condição médica bem conhecida chamada distúrbio de desejo sexual hipoativo. Ele se manifesta por meio de um desejo sexual extremamente baixo. Esse distúrbio é caracterizado por um desejo sexual praticamente inexistente e falta de fantasia sobre sexo em geral.

A maioria dos pacientes que lutam com o desejo sexual hipoativo o compara a um interruptor de luz. Eles costumavam ter desejo sexual regular, mas por nenhuma razão identificável, de repente eles têm *zero* desejo sexual, não importa o parceiro ou a situação. Nesses casos também há sempre angústia associada à baixa libido, o que significa um componente emocional de ficar chateado ou perturbado pelo fato de você não estar pensando em sexo.

É um pouco complicado diagnosticar esse problema. Os pacientes preenchem um breve questionário sobre seu baixo desejo sexual e como isso os afeta emocionalmente, e os médicos examinam suas respostas para diagnosticar o distúrbio.

Se, quando os médicos avaliarem as respostas de um paciente, parecer que a causa da baixa libído está associada a algo como problemas conjugais ou outro problema médico ou de medicação, seu médico irá trabalhar para resolver e tratar isso com você primeiro.

Mas se você receber um diagnóstico de desejo sexual hipoativo, não entre em pânico. Acredite ou não, ele é comum entre mulheres jovens – uma em cada 10 mulheres na pré-menopausa sofre com isso – e não é algo para se envergonhar.

Para tratar a libido baixa, você tem algumas opções diferentes

O tratamento, como você provavelmente pode adivinhar, depende da causa subjacente. Mas seu médico provavelmente recomendará um (ou mais) das seguintes possibilidades de ação.

  • Considere consultar um terapeuta sexual

Esse profissional administrará os componentes emocionais e psicológicos do desejo sexual baixo e também abordará como sua queda na libido pode estar afetando seu relacionamento ou seu desejo de formar um novo relacionamento.

Quando trabalho com pessoas que sofrem de desejo sexual hipoativo ou com baixa libido em geral, percebo que alguns têm medo de que isso possa fazer com que seu parceiro, se tiver um, se desvie ou o deixe. Isso também é algo que você pode aprofundar com um terapeuta sexual, se sua baixa libido estiver provocando pensamentos intrusivos como esse. No meu consultório, recomendo que você se reconecte com seu parceiro com uma noite de encontros regular. Basicamente, é uma “receita” para a intimidade.

  • Revise livros e filmes que possam ajudar a acender sua chama

Você pode simplesmente precisar fazer algum trabalho de casa solo para voltar ao seu ritmo. Isso pode incluir uma variedade de tarefas diferentes (é claro que você se sente à vontade). Para alguns pacientes, assistir pornô ou literatura erótica fazem o truque para recuperar os pensamentos sexuais no cérebro. Você pode incorporar isso durante o tempo solo, para poder começar a fantasiar por conta própria e, em seguida, envolver o seu parceiro no cenário.

Outra coisa que ajuda às vezes é sair da rotina de atividade sexual. Isso pode significar um cenário divertido para algumas pessoas. Para outros, isso pode significar fazer sexo em outro cômodo da casa, além do quarto, para manter as coisas interessantes.

  • Converse com seu médico sobre medicamentos e suplementos que podem aumentar sua capacidade

Se você tem desejo sexual hipoativo, pode ser necessário tomar medicação para tratar a doença. Em 2015, um medicamento chamado Flibanserin foi aprovado pelo FDA para tratar o distúrbio em mulheres na pré-menopausa. É uma pílula diária que pode ter alguns efeitos colaterais, como tontura, náusea e fadiga, de acordo com o site do medicamento.

Mais recentemente, outro medicamento chamado Vyleesi foi aprovado. É administrado exclusivamente com um injetor automático (é como um Epipen) que você pode solicitar quando necessário para se preparar para o sexo. Vyleesi trabalha com receptores de melanocortina, ou reguladores de energia, no cérebro. Os estudos mostraram aumento do desejo e diminuição do estresse naqueles que tomam Vyleesi. Um efeito colateral comum é náusea.

Outras opções incluem o uso off-label da suplementação de testosterona por prescrição ou suplementos de ervas vendidos sem receita, para aumentar o desejo sexual.

Se meses se passarem e você não conseguir voltar ao seu nível normal de libído, pode ser o momento certo para também alertar seu médico de que você não está se sentindo você mesma.

Mas a principal bandeira vermelha não é a quanto tempo você está com a libido baixa (para algumas pessoas, semanas, meses ou mais). É a questão de saber se isso é um problema perturbador para você. É aí que você deve chamar a atenção do seu ginecologista.