Design vaginal: tudo sobre labioplastia

Por Mara Santilli - Women's Health EUA

labioplastia
Foto: Shutterstock

Se as celebridades nos ensinaram alguma coisa nos últimos anos, é que a vulva e a vagina não estão fora dos limites quando se trata de tratamentos cosméticos. Desde as irmãs Kardashian que começaram a dar abertura sobre o assunto com o rejuvenescimento vaginal a laser. Até Sharon Osborne falando sobre seu procedimento de aperto vaginal, fica claro que os tratamentos de embelezamento lá em baixo estão se tornando comuns. E a tendência está crescendo também entre as não celebridades. De fato, quando se trata da labioplastia (também conhecida como ninfoplastia e cirurgia da vagina de designer, que envolve a alteração dos lábios), houve um aumento de 53% nos procedimentos de 2013 a 2018 nos EUA, de acordo com a Sociedade Americana de Cirurgia Plástica Estética.

Leia mais
+ Descubra se você está em um relacionamento tóxico
+ Por que prefiro parceiros dominantes? Veja explicação científica
+ 10 razões para dor na vagina

Essa tendência crescente pode ser devida a um aumento na conscientização e na conversa sobre a saúde vaginal, sugere Juliana Hansen, MD, professora de cirurgia e chefe de divisão de cirurgia plástica e reconstrutiva da Faculdade de Medicina da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon. “Por muitas gerações, a saúde vaginal foi considerada um tabu, e os procedimentos e opções para cuidar da genitália feminina não estavam disponíveis”, diz Hansen.

Independentemente do motivo exato da tendência, a saúde vaginal e a cirurgia plástica dentro e ao redor da área vaginal estão recebendo mais atenção do que nunca. Aqui, tudo o que você precisa saber sobre a labioplastia e outros procedimentos cosméticos vaginais comuns.

O que é a labioplastia?

A labioplastia é principalmente um procedimento estético, mas também pode ser funcional. Na maioria dos casos, a cirurgia altera os pequenos lábios, ou os lábios internos da vagina, explica Hansen, mas pode ser adaptada para alterar os grandes lábios, ou lábios externos. Basicamente, o cirurgião plástico encurta os lábios para remover o excesso de tecido, o que pode estar incomodando o paciente por razões estéticas ou funcionais. Dentre os motivos, por exemplo, se isso atrapalha durante o sexo ou ao fazer exercícios.

Vaginoplastia

A labioplastia é diferente de uma vaginoplastia, que é um procedimento cirúrgico para o aperto vaginal, explica o Dr. Hansen. Certos pacientes podem ter feito isso devido a problemas no assoalho pélvico, como incontinência, após vários partos, diz ela. Mas isso também costuma ser feito para ajudar a aumentar o aperto vaginal para fins de prazer sexual. No entanto, “não há muitas evidências de que os procedimentos [vaginoplastias] funcionem bem”, diz Hansen, “e pode haver potencial para causar dor e danos crônicos”.

Rejuvenescimento vaginal

Existem também tratamentos de rejuvenescimento vaginal não cirúrgicos, que se enquadram na tendência da “vagina de designer” mas são totalmente diferentes da labioplastia. “Isso inclui lasers para estimular a mucosa ou revestimento interno da vagina e tratamentos com luz LED que supostamente estimulam a vagina a produzir mais tecido”, diz Hansen. No entanto, ela alerta que a maioria desses tratamentos não é aprovada pela FDA ou cientificamente comprovada para aumentar a tensão vaginal ou reduzir a secura.

Cirurgia de redesignação sexual

As cirurgias para mulheres trans são geralmente completamente separadas dos procedimentos de labioplastia e de rejuvenescimento vaginal. As cirurgias de confirmação de gênero geralmente envolvem a criação de uma vulva para um paciente transexual, mas normalmente a nova vulva precisa ser dilatada e esticada para funcionar corretamente, diz Hansen. O que é quase o oposto de muitas dessas vaginoplastias de aperto e procedimentos de labioplastia.

Por que alguém faria uma labioplastia?

Existem algumas razões para se submeter a um procedimento de labioplastia, mas a maioria delas envolve estética em oposição à necessidade médica:

Insatisfação com a aparência dos lábios: Esta é a razão número um pelas quais as mulheres tendem a realizar a labioplastia. Elas podem sentir vergonha ou falta de confiança na aparência de seus lábios, especialmente durante o sexo. Em muitas mulheres, os pequenos lábios ficam mais baixos – o que é completamente normal! -, mas não correspondem aos padrões de beleza muito estreitos que as mulheres veem na mídia, diz Hansen.

Desconforto com lábios longos: ter lábios maiores ou mais longos pode causar problemas funcionais em alguns pacientes. Isso pode incluir desconforto ao andar de bicicleta, roupa íntima ou calcinha ou excesso de umidade proveniente da vagina.

Dor durante o sexo: a insatisfação com a aparência dos lábios labiais pode afetar a confiança do paciente no quarto. Mas ter lábios ampliados ou mais longos também pode atrapalhar o sexo, causando potencialmente uma experiência dolorosa ou, no mínimo, desconfortável. “Apenas reduzindo o tamanho dos lábios, a função sexual pode ser melhorada, porque você não está tão preocupado com o tecido ser puxado ou esticado durante a relação sexual”, diz Hansen.

Cânceres ou condições pré-cancerígenas: Uma razão médica para a reconstrução dos lábios labiais pode envolver a remoção de parte dos lábios labiais que contêm células cancerígenas na área vaginal. “Os cânceres ou condições pré-cancerígenas que podem crescer por lá podem exigir excisões”, diz Hansen.

Quais são os riscos da labioplastia?

Como qualquer procedimento médico, a labioplastia não é 100% livre de riscos. Possíveis complicações incluem feridas e cicatrizes. Alguns pesquisadores também levantaram preocupações sobre a possível perda de sensibilidade sexual como resultado da labioplastia. Além do aumento do risco de traumatismo na área perineal durante o parto vaginal, embora todos esses riscos precisem ser mais pesquisados.

Quais são as etapas de um procedimento de labioplastia?

Tudo começa com uma consulta com um cirurgião plástico. Esta é uma discussão sobre qual é o problema com a vulva, pré-operação. O médico precisa ver o mesmo problema que o paciente vê nos lábios, diz o Dr. Hansen. Se não houver uma boa solução cirúrgica, o que envolveria encurtar ou reconstruir os lábios, o cirurgião não recomendará a cirurgia ao paciente, observa Hansen.

O procedimento em si é sempre cirúrgico, mas pode ser realizado no consultório, sob anestesia local em uma clínica ou sob anestesia geral em um hospital, diz Hansen. Durante a operação, o cirurgião reduzirá o tamanho e o comprimento dos pequenos lábios e fará uma linha de pontos. Leva algum tempo para curar, então ela recomenda de duas a três semanas descansando, deixando a área gelada e mantendo-a limpa.

“Também recomendamos que os pacientes evitem atividades que traumatizem ou estiquem a linha do ponto por cerca de seis semanas a três meses”, diz Hansen. Por isso, a recuperação pode envolver ser criativo com sua atividade sexual rotineira.

Os pacientes tendem a concordar que a cirurgia é rápida (normalmente leva apenas uma hora), mas o processo de cicatrização é longo. “A pós-operação foi extremamente dolorosa, como eu esperava. Tomei muitos remédios contra a dor e evitei ficar de pé a todo custo por pelo menos uma semana. Doeu muito quando andei por cerca de sete dias, e senti uma dor ardente que foi pior durante a micção “, escreveu uma paciente em uma revisão de sua experiência com o procedimento no Labiaplasty Boston em Boston, Massachusetts. “Você deve ter certeza de que tenha pelo menos uma semana de folga se você planeja fazer isso. No entanto, o procedimento valeu a pena “.

Quanto custa a labioplastia?

Os procedimentos de labioplastia não são uma despesa pequena. A Sociedade Americana de Cirurgia Plástica Estética relata que o procedimento custa cerca de US $ 2.800 (aqui no Brasil, fica entre R$ 3 mil e R$ 6 mil). Essas cirurgias são normalmente consideradas cirurgias estéticas eletivas, diz Hansen, por isso seria difícil cobri-la por qualquer companhia de seguros. Mesmo que você possa argumentar que o procedimento pode ser medicamente benéfico, como no caso de dor durante o sexo ou reconstrução após a remoção de células cancerígenas.

Contra indicações dos procedimentos de labioplastia

De um modo geral, se o cirurgião não encontrar um motivo válido para realizar a labioplastia em um paciente, ele não o fará. Fora isso, os pacientes que têm outras condições médicas, especialmente aqueles que podem afetar a cura, não seriam bons candidatos, diz Hansen. Se você tiver outras condições médicas, é melhor consultar seu médico de atendimento primário antes de consultar um cirurgião plástico.

Além disso, o procedimento é proibido para mulheres grávidas, porque o parto afetaria a cura. “Um parto natural afetaria essa área, e as mulheres podem rasgar seus pontos ou precisar de uma episiotomia após o nascimento”, diz Hansen.