4 mitos sobre o protetor solar

Descubra se o seu conhecimento sobre a proteção solar é bom para salvar sua pele

Foto: Shutterstock.

Por Aleisha Fetters

MITO: peles negras não queimam, então você não precisa de protetor solar.

VERDADE: “Apesar de ter uma resistência maior aos danos causados pelos raios solares, devido à alta concentração de melanina, a proteção ainda se faz necessária”, afirma Paula Chicralla, dermatologista de São Paulo. O FPS não precisa ser tão alto quanto o de uma pessoa com a pele branca, mas, ainda assim, essa melanina extra não a protege dos raios UV nocivos, que aceleram o envelhecimento e pode causar até câncer. Use um protetor solar com FPS 15, no mínimo.

MITO: O sol dá luzes incríveis ao cabelo

VERDADE: “Os raios solares atingem a matriz do cabelo, prejudicando a retenção da água e deixando as escamas abertas, resultando em cabelos ásperos, ressecados, sem brilho e com as pontas duplas”, diz Chicralla. Segundo ela, os raios UVA também deixam os fios fracos e quebradiços. Na verdade, essas “luzes” naturais são uma evidência de que o seu cabelo está seco, com textura de palha e quebradiço. “Os filtros solares para cabelos normalmente bloqueiam as radiações UVA e UVB, e devem ser aplicados 20 minutos antes da exposição solar, pois precisam de tempo para agir”, afirma a dermatologista. Com o cabelo molhado, espalhe o produto, penteie e deixe secar.

MITO: O bronze evita espinhas

VERDADE: O bronzeado pode camuflar, temporariamente, a vermelhidão de uma espinha e deixar a pele mais seca, mas a exposição ao sol vai eventualmente levar ao aparecimento de mais erupções. “O sol faz com que a pele produza mais oleosidade, o que facilita o aparecimento de novos cravos e espinhas”, conta Chicralla. O sol ainda desidrata a pele, e quando isso ocorre, suas glândulas oleosas tentam compensar isso expelindo mais óleo, o que pode causar mais espinhas.

MITO: Não há benefício em usar protetores com FPS acima de 30

VERDADE: Um protetor solar com FPS 30 oferece quase 100% de proteção à pele: segundo o FDA, órgão americano que fiscaliza alimentos e medicamentos. Um FPS 30 aplicado corretamente oferece quase 96% de proteção. “Mas, apesar da eficácia do protetor com FPS 30, costumo indicar filtros solares com fator mais alto, pois poucas pessoas usam o filtro de forma correta”, diz Chicralla. Segundo a dermatologista, as pessoas tendem a aplicar bem menos que o recomendado. “Aconselhamos uma colher de café cheia para a face, por exemplo”, diz. Outra vantagem de usar um filtro solar com FPS acima de 30 está em aumentar o tempo de proteção da pele, principalmente quando não há a possibilidade de reaplicar o produto depois de um tempo. “Se o fator é mais alto, a pele aguentará um intervalo maior sem sofrer danos”, afirma ela.