Batom vermelho: cinco dicas para usar sem erro

O beauty artist Edu Hyde conta os segredos

Foto: Shutterstock

É fato: O batom vermelho rejuvenesce o visual. A descoberta foi feita por Richard Russel, professor do curso de psicologia da faculdade Gettysburg College, em Washington, nos EUA. Segundo ele, com o processo de envelhecimento, a pele dos lábios tende a ficar mais clara e, em contrapartida, a epiderme ao redor dessa região fica mais escura. Richard e sua equipe analisaram 289 rostos de mulheres entre 20 e 70 anos e concluíram que, ara manter um visual jovem, devemos apostar na suavização desses contrastes, efeito que a cor vermelha proporciona.

Para usar e abusar da cor, disponível no mercado em inúmeros tons, e evitar efeitos negativos (batom escorrendo, craquelado ou de cor indesejada), é preciso saber alguns macetes. Anote as dicas:

Textura: O ideal é que seja mais seca ou mate. Use um lápis de contorno da mesma cor do batom, para segurar o produto por mais tempo. Quando a textura for muita cremosa, o risco de escorrer dos lábios é maior.

Durabilidade: Para intensificar o tom vermelho e deixá-lo mais duradouro, preencha os lábios com um lápis de contorno e depois aplique o batom. Assim você vai ter duas camadas de cor.

Fixação: Um bom truque para que o batom não escorra ou borre é apagar os lábios com corretivo ou base antes do lápis de contorno. Isso vai criar uma barreira para que o produto cremoso não se espalhe.

Volume ou redução: Delineie os lábios por dentro (para diminuir), ou por fora (para aumentar). Faça uma correção em volta deste traço com corretivo e pincel chanfrado e depois aplique o batom.

Formato: Cada formato de lábio pede um tom de vermelho diferente. Um lábio fino, por exemplo, não deve usar um batom que puxa para o vinho, porque vai diminuir. Neste caso, opte por um vermelho mais rosado ou alaranjado e um gloss para dar volume e arrematar a produção. Já os lábios grossos podem usar e abusar do famoso “vermelho-tomate”.