5 fatos que toda mulher deveria saber sobre os seus ovários

Foto: Shutterstock

Por Macaela Mackenzie

Você provavelmente nem deve lembrar que eles existem (a menos que esteja tentando engravidar), mas mesmo que não pense neles com frequência, esses órgãos do tamanho de uma noz na verdade desempenham um enorme papel em seu dia a dia. “Os ovários são um dos nossos órgãos mais importantes”, diz Mary Jane Minkin, professora de obstetrícia, ginecologia e ciência reprodutiva na Yale Medical School. Aqui estão cinco coisas que você não sabia sobre os seus melhores amigos reprodutivos.

1. Eles produzem um monte de hormônios

Seus ovários secretam estrogênio e progesterona, segundo Minkin. Esses dois hormônios são responsáveis pelo desenvolvimento do corpo feminino na puberdade (como o crescimento dos seios, a menstruação e o alargamento dos seus quadris). O estrogênio e a progesterona também preparam o útero para a concepção – e uma produção insuficiente deles pode ser um problema para quem quer engravidar. Além disso, seus ovários produzem testosterona em alta quantidade (embora menos do que o estrogênio) – você pode agradecê-la pela sua libido.

2. Eles mudam de tamanho

Diferentemente de vários dos seus órgãos, seus ovários não têm um tamanho estático; na verdade eles mudam bastante durante o seu ciclo e sua vida. O tamanho do centro de força da sua reprodução (que normalmente tem cerca de três a cinco centímetros de comprimento) varia enquanto ele solta um óvulo por mês. “Com a ovulação, e a causa provável da formação de um pequeno cisto que vem com ela, o ovário pode crescer um pouco de tamanho”, diz Alyssa Dweck, professora assistente de ginecologia e obstetrícia da Mount Sinai School of Medicine. “Mas isso é somente temporário.” Essas pequenas mudanças param quando você passa pela menopausa. Uma vez que os seus ovários oficialmente não fazem mais parte da comissão, eles murcham.

3. Eles podem se estressar

“A ovulação é definitivamente afetada pelo estresse”, diz Dweck. Quando o seu corpo está sob pressão – nós estamos falando de algo sério, trazido por uma grande mudança de vida, como se mudar para longe, ou uma mudança física, como perder muito peso –, seus ovários param de liberar óvulos. “É o jeito de a natureza prevenir uma gravidez durante períodos estressantes”, diz Dweck.

4. Eles podem estar por trás de suas espinhas

Uma vez que os ovários desempenham um baita papel em seu equilíbrio hormonal, eles podem estar por trás de questões corporais lideradas pelos hormônios. “Com certas condições, como a síndrome do ovário policístico, o equilíbrio hormonal do estrogênio, da progesterona e da testosterona altera muito”, diz Dweck. “O excesso de testosterona, por exemplo, tem como sintomas o aparecimento de espinhas, o crescimento de pelos em lugares tipicamente masculinos, e variações de peso aparentes.” Seu médico pode prescrever um medicamento para ajudá-la a controlar esses problemas.

5. Eles amam a pílula

Os anticoncepcionais – especialmente as versões que contêm estrogênio e progesterona – podem reduzir drasticamente seu risco de câncer de ovário com apenas alguns meses de uso, de acordo com a Sociedade Americana de Câncer. A pílula, inclusive, tem um papel significante em reduzir o risco nas mulheres que carregam mutações nos genes BRCA1 ou BRCA2 (que colocam você em um grupo de risco de câncer de ovário), segundo Minkin. “Os anticoncepcionais são extremamente efetivos e podem reduzir o risco em mais de 50%, segundo alguns estudos”, diz ela. “É um ótimo fator de proteção.”

 

COMPARTILHAR