7 coisas que você deve (e vai querer!) saber sobre transar na água

Por Korin Miller – Women’s Health EUA

7 coisas que você deve saber sobre transar na água
Foto Shutterstock

Transar na água soa muito instigante e tentador, certo? São tantas cenas quentes e icônicas de filmes que envolvem sexo subaquático, que é difícil não querer experimentar!

Mas – sinto lhe informar – essa é uma daquelas coisas que parece muito melhor na tela do que na realidade. Isso porque existem apenas alguns problemas que você deve saber:

1. Não é saudável

Claro, você provavelmente não ficará em uma cama de hospital, mas a água pode carregar algumas bactérias muito grosseiras como E.coli e salmonela. Isso inclui piscinas e banheiras de hidromassagem com níveis impróprios de pH, rios, lagos, oceanos, etc. “Há uma chance de que você esteja empurrando bactérias ou outros germes para o canal vaginal e para o corpo”, explica a especialista em saúde feminina Jennifer Wider (EUA).

2. Você pode ficar sem lubrificação lá embaixo

Parece que a água é um ótimo lubrificante – afinal, é molhada. Mas não é bem assim. “A água não é um bom lubrificante”, garante Jessica Shepherd, ginecologista da Baylor University (EUA). “Além disso, ela pode lavar o lubrificante natural do seu corpo e secá-la”, completa.

Como resultado, pode ser mais difícil para você ficar mais molhada (e confortável) durante o sexo na água do que em terra firme.

Leia mais

Sinal vermelho: 4 coisas que você nunca deve fazer durante o sexo
7 coisas para fazer depois do sexo para manter sua vagina saudável

3. Você pode se machucar

“Essa falta de lubrificante pode ser um problema e pode até levar a um aumento do atrito em sua vagina”, diz Shepherd. E não estamos falando sobre um tipo bom de atrito.

“Também tenha isso em mente: se o seu parceiro estiver usando preservativo, mais atrito aumenta as chances de o preservativo se romper”, ela ressalta.

4. Você pode ter uma infecção urinária

Lembra de todas as bactérias que estão na água? Bem, elas também podem ser empurradas para dentro de sua uretra durante o sexo. “Isso aumenta o risco de desenvolver uma infecção urinária”, diz Wider.

5. O risco de infecção por fungos pode aumentar

Isso só está ficando pior, certo? Ter relações sexuais em qualquer tipo de água pode aumentar o risco de infecção por fungos. O cloro, em particular, pode irritar sua vagina e atrapalhar o pH delicado lá embaixo. “Qualquer coisa que perturba o pH pode aumentar o risco de infecções fúngicas”, aponta Shepherd.

6. Você corre um risco maior de contrair DSTs

Desculpe, mas a água não tem propriedades mágicas de limpeza de DSTs, infelizmente. Dado que é meio complicado usar um preservativo debaixo d’água, e especialmente difícil de usar corretamente, isso é um grande problema. Além disso, as feridas vaginais mencionadas acima também podem aumentar o risco de contrair uma doença sexualmente transmissível.

7. Sim, você ainda pode engravidar

“Se alguém ejacular em uma piscina ou outro lugar em que você está nadando, você não vai engravidar”, diz Wider. Mas se você estiver fazendo sexo com penetração e seu parceiro ejacular dentro de você, você pode engravidar. “A concepção pode ocorrer enquanto faz sexo na água, então não conte como uma forma contraceptiva”, diz Shepherd.

Depois de todas essas informações, é bom saber que é claro que sua vagina não vai murchar e morrer se você fizer sexo na água uma ou duas vezes. Apenas é importante ter em mente que existem estes riscos.