Profissional responde: posso tomar café na gravidez?

Por Cassie Shortsleeve – Women’s Health EUA

tomar café na gravidez
Foto Shutterstock

A gravidez pode fazer com que você se sinta nas nuvens, às vezes. Poxa, seu corpo está criando um outro ser humano! Mas ela também pode parecer um pouco injusta, já que força você a abrir mão de algumas coisas (vinho, sushi, alguns queijos…) por nove meses. Ai! E sobre tomar café na gravidez?

Esta é uma bebida amada que muitas mulheres não querem abrir mão, mas se preocupam. Isso porque há muitas informações conflitantes se a cafeína (não apenas o café) pode afetar negativamente a saúde do feto.

Então fomos atrás de uma obstetra e uma nutricionista para ajudar a clarear se as futuras mães precisam desistir completamente do elixir matinal de energia (vamos ser honestas, a gestação dá um sooooono). O veredito sobre tomar café na gravidez você descobre a seguir.

É assim que beber café afeta seu corpo (e o bebê) durante a gestação

Vamos começar com o seu corpo: a cafeína pode aumentar a pressão arterial e a frequência cardíaca, diz Jessica Shepherd, obstetra e ginecologista dos Estados Unidos. Para aquelas que não estão gestantes e apresentam uma boa saúde, está tudo bem e é a razão pela sensação de disposição que a gente sente após beber uma xícara de café.

Leia mais

Pesquisa descobre o melhor alimento para uma gravidez saudável
Dieta vegana na gravidez: esclareça 4 mitos e verdades

Mas o problema para as grávidas é que a pressão sanguínea alta é um risco para bebês nascerem abaixo do peso e ela até já foi ligada a partos prematuros, segundo o Centers for Disease Control and Prevention (EUA). E há mais: a cafeína pode atravessar a fronteira da placenta (a placenta é o órgão que providencia oxigênio e nutrientes ao bebê) e é mais complicado para um feto metabolizar o estimulante do que é para você, explica Amanda Baker Lemein, nutricionista de Chicago (EUA).

A cafeína também é diurética, o que pode resultar em desidratação. E a gravidez por si só já é uma maratona do xixi.

Tomar café na gravidez depende da quantidade

O que se sabe hoje entre os estudos feitos é que o risco do consumo de café durante a gestação está muito mais ligado à quantidade.

Há muitas pesquisas conflitantes, mas o consenso científico geral é que consumir mais que 300 miligramas de cafeína por dia pode aumentar seus riscos de aborto ou de dar à luz um bebê de baixo peso – tudo pelos efeitos fisiológicos que a cafeína pode ter no feto.

Então, a coisa mais importante a saber é não tomar dezenas de xícaras de café. Em quantidades moderadas, a bebida é considerada segura para as grávidas, diz Amanda. “Quando estive grávida e como nutricionista, nunca abandonei a minha xícara de café e teria ficado muito triste em ter que fazer isso.”

O que é, então, uma quantidade moderada de café? Cerca de 200 ml por dia, o que contém menos de 200 miligramas de cafeína. Segundo o American College of Obstetricians and Gynecologists (EUA) essa quantidade não aparenta ser um risco de abortos e parto prematuro.

Não se esqueça de que a cafeína também é encontrada em muitos outros produtos, incluindo estes:

– Chá (48 mg por xícara)
– Chocolate (30 mg por barra do tipo amargo)
– Refrigerante (37 ml em uma garrafa de 350 ml)

O importante é prestar atenção na quantidade de cafeína que está ingerindo – e não apenas nas xícaras de café. Também é muito mais seguro sempre falar com seu obstetra sobre as preocupações que você tem com a cafeína.

Pegue leve no café. E se precisar de energia sem cafeína…

…cuide de sua saúde priorizando o sono e a boa alimentação (o que, sabemos, pode ser algo bem difícil agora). “Apesar do café ser um estimulante e, por isso, ajuda você a ficar acordada, a melhor maneira de se manter com energia é por uma dieta balanceada e bons hábitos de sono”, diz Amanda.

Coma bem ao longo do dia e busque comidas que prometem dar energia (como aveia e morangos, pasta de amendoim e banana, ou homus e tiras de pepino), mas sem exageros. “Comer demais também pode cansá-la, grávida ou não”, conta Amanda.

Para fechar, beba muita água e pratique exercícios (apropriados às grávidas e prestando atenção às recomendações do seu médico). Tudo isso vai ajudar a aumentar os níveis de energia, o que toda futura mãe gostaria de ter.