Tudo que você precisa saber sobre cada tipo de DIU

Por Charlotte Hilton Andersen – Women’s Health EUA

Tipos de DIU
Foto Shutterstock

Controle pré-natal é muito importante para muitas mulheres e, francamente, quanto mais fácil de usar, melhor. E se você quer algo permanente a longo prazo, é hora de conhecer sobre o DIU.

O que é DIU?

Dispositivos Intra-Uterinos estão na categoria de contraceptivos reversivos e de longo-prazo. O que significa que previne gravidez por anos, mas pode ser removido quando e se você quiser tentar começar uma família biológica.

Eles têm 99% de eficácia (em comparação a 85% das camisinhas e 91% da pílula, de acordo com Planned Parenthood, um órgão dos Estados Unidos). “Basicamente, é o melhor dos dois mundos: alta eficiência sem nem mesmo ter que pensar sobre isso”, diz Sherry Ross, obstetra-ginecologista dos Estados Unidos.

Existem duas categorias: hormonais e não hormonais. E, diferente da pílula, a maioria das mulheres é uma boa candidata a usar ao menos um dos tipos.

Parece ótimo, mas não dói?

Eles todos possuem a mesma aparência: um dispositivo de plástico em formato de T e são inseridos via cérvix para dentro do útero. Há pequenos fios na ponta que saem do cérvix e ficam aparentes na parte interna da vagina.

A inserção, honestamente, é diferente para cada uma. Para algumas mulheres, especialmente as que já tiveram filhos, é um incômodo pequeno. Para outras, pode ser extremamente doloroso.

Leia mais

7 efeitos colaterais do DIU de cobre que você precisa conhecer
6 coisas que você precisa saber sobre sexo com DIU

A boa notícia é que essa dor só dura alguns minutos. A má: todas são diferentes, mas há uma chance de você ter vazamento ou cólicas por até 6 meses após a inserção. Removê-lo, por outro lado, é normalmente simples e livre de dores, necessitando apenas de uma visita rápida ao médico.

Abaixo está tudo que você precisa saber sobre cada tipo de DIU:

1. De cobre

Como funciona: É revestido de cobre fino, o que causa uma resposta inflamatória no corpo. Isso ajuda a prevenir que o esperma passe pelo cervix. Além disso, os íons de cobre são tóxicos aos espermatozóides.

Efeitos colaterais: “A inflamação bloqueia o esperma, sim, mas também pode aumentar o sangramento menstrual e a duração do ciclo”, explica Sherry. Por consequência, algumas pessoas podem ter anemia. Ele também pode intensificar as cólicas pré-menstruais.

Quanto tempo dura: 10 anos.

Melhor para: Mulheres que querem evitar hormônios artificiais com uma opção de longa duração.

Quem deveria evitar: “Se você já tem cólicas muito fortes e sangramento intenso, o DIU de cobre provavelmente não é para você”, diz Sherry.

2. Mirena

Como funciona: Mirena libera 20 miligramas de levonorgestrel, uma forma sintética de progesterona, por dia. O hormônio engrossa a mucosa vaginal, afina a parede vaginal e previne que os ovários liberem os óvulos, evitando que o esperma se prenda à parede deles para fertilizar.

Efeitos colaterais: “Como ele afina a parede vaginal, o efeito mais comum é uma menstruação significativamente mais leve – ou até sua ausência”, diz Sherry. Outros problemas podem incluir náuseas, cistos no ovário e mudança de humor.

Quanto tempo dura: 5 anos.

Melhor para: Mulheres com a menstruação super intensa.

Quem deveria evitar: “Se você tem tendência a cistos no ovário ou reage mal à progesterona, não o use”, orienta Sherry, já que pode aumentar o riscos. Se você fica hesitante com a ideia de não menstruar, também deixe essa opção de lado.