Tintura de cabelo faz jovem ficar com rosto deformado e quase morrer

Por Korin Miller – Women’s Health EUA

Tintura de cabelo
Foto Reprodução Le Parisien

Se você já pintou o cabelo em casa, provavelmente teve muitos pesadelos sobre os piores cenários. Um tingimento que resulta em dois tons, couro cabeludo queimando e talvez até mesmo queda de cabelo. Agora, você pode adicionar nesta lista a possibilidade de seu rosto inchar como uma “lâmpada”.

Estelle, de 19 anos, contou recentemente à publicação francesa Le Parisien sobre uma reação severa à tintura de cabelo que fez seu rosto inchar quase o dobro do tamanho, além de quase morrer com o incidente.

Aparentemente, a estudante realizou o teste de contato usando o corante por 30 minutos antes de começar o tingimento. Contudo, o aviso da caixa indica esperar 48 horas após o teste.

Quase imediatamente, Estelle notou que algo estava errado. Ela sentiu irritação em seu couro cabeludo seguida de inchaço, de acordo com o Le Parisien. Com isso, tomou anti-histamínicos, aplicou um creme anti-coceira e foi para a cama. Porém, quando ela acordou, sua cabeça estava incrivelmente inchada. Aparentemente, ela estava medindo quase 63 centímetros, em vez de seus quase 56 usuais.

Estelle não percebeu, na época, que o corante continha a substância química PPD (parafenilenodiamina). Este componente é comum em algumas tinturas capilares, mas pode causar reações alérgicas graves.

Leia mais

Mulher fica com boca deformada e quase perde lábio após botox
Dias antes de casar, noiva fica deformada por não passar creme no rosto
Mulher descobre ter alergia ao sol após perder visão e cabelo

“Eu não conseguia respirar. Fiquei com uma cabeça de lâmpada”, disse ela. Estelle, cuja língua começou a inchar também, foi levada às pressas para o hospital. Lá, os médicos determinaram que ela tinha uma reação alérgica ao PPD.

Ela disse à Newsweek que os médicos lhe deram um tiro de adrenalina e a mantiveram lá durante a noite para observação. “Antes de chegar ao hospital, você simplesmente não sabe quanto tempo levará para se sufocar, se terá tempo para ir ao hospital ou não”, disse ela. Estelle contou que está bem agora. “Praticamente ri de mim, por causa da incrível forma da minha cabeça”, completa.

“Agora, minha maior mensagem é dizer às pessoas para serem mais atentas com produtos como este, porque as conseqüências podem ser fatais”, disse. E ela não está errada. De acordo com um relatório de caso de 2012 no Journal of Research in Medical Sciences, alergias PPD graves podem levar a outras complicações graves, como insuficiência renal e insuficiência respiratória. E reações menos graves podem incluir vermelhidão, coceira e até formação de bolhas na área afetada, segundo uma revisão de 2017 no Journal of Asthma and Allergy.

Embora os corantes capilares contendo PPD sejam seguros para uso, de acordo com a Food and Drug Administration (EUA), é super importante fazer esse teste antes de aplicá-lo em toda a cabeça.

Nota de esclarecimento

Com relação à matéria, a Allergan, indústria farmacêutica de atuação mundial, responsável pela produção da toxina botulínica A com a marca BOTOX® e dos preenchedores faciais à base de ácido hialurônico sob marca Juvéderm®, esclarece que:

– BOTOX® não possui ação de preenchimento nos lábios e nem indicação para esta finalidade, por isso a aplicação nos lábios não é recomendada.

– BOTOX® é um produto biológico devidamente registrado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA (MS 1.0147.0045), desde 1992.

– BOTOX® é a marca registrada da toxina botulínica A produzida pela Allergan. Por se tratar de um produto biológico, BOTOX® possui características próprias de dosagem, tempo de resposta terapêutica e duração de efeito, além de possuir indicações aprovadas igualmente específicas para este medicamento.

– Preenchedores faciais e toxina botulínica A têm sua venda direta aos profissionais de saúde autorizados para a realização destes procedimentos e sua aplicação deve ser obrigatoriamente realizada por um – profissional habilitado.

– BOTOX® foi aprovado em 1989 (pelo FDA, nos Estados Unidos), como uma alternativa para tratar o estrabismo.