Testamos: nossa editora conta como foi treinar sem roupa

Por Larissa Serpa

Além de ser rápido, prático e eficiente, os exercícios fortalecem a aceitação do corpo

Nossa edição de setembro da revista Women’s Health veio com um manifesto: seu corpo é lindo, independente do formato. Todas as matérias no recheio eram uma carta de amor à ideia de aceitação corporal.

O problema foi quando chegou às páginas sobre treino. Como fazer uma matéria que nos faça sentir bem com o próprio corpo enquanto estamos tentando mudá-lo? Mas nosso especial de análise sobre a relação das leitoras com o corpo descobriu que é sim, possível se amar mesmo não estando totalmente satisfeita com seu físico. Autoestima não é sinônimo de perfeição.

Decidimos então: vamos criar um treino para se fazer em casa totalmente sem roupas. A vantagem disso? Fortalecer os músculos ao mesmo tempo em que criamos consciência corporal.

Começando

Fiquei com a missão de testá-lo. Afinal, era um treino focado em pernas e eu me dou muito melhor com exercícios para o grupo de músculos inferiores. “Vai ser fichinha”, pensei.

Primeiro passo: tirar a roupa. Segundo passo: começar a malhar.

Ok, não sou a pessoa mais confiante do mundo mas não tenho tantos problemas em me despir em frente ao espelho. A primeira etapa foi realmente bem fácil. A segunda, por outro lado… Não é nem pela dificuldade do treino, mas estamos acostumadas a nos olhar nuas quando o corpo está quase estático. E quando nos vemos em movimento, na academia, estamos vestidas. Tirando essas duas armas de defesa, me senti completamente vulnerável.

Não foi legal ver todos meus músculos – que não são lá muito duros – e gorduras se mexendo livremente de maneira que, na minha cabeça, não deveriam, enquanto fazia os movimentos.

Mas o susto – ainda bem – foi passando aos poucos. No segundo dia, já me senti um pouco mais confortável. No terceiro, comecei a entender que certos movimentos musculares são absolutamente normais. A ideia de uma bunda e coxas que não se mexem um milímetro, mesmo quando estamos nos movendo, não é realista, e quanto mais nos forçamos a ver nosso corpo totalmente nu e cru em atividade, mais fácil fica aceitar isso.

O tônus que adquiri após o mês de treino foi ótimo mas a consciência corporal de tirar a roupa enquanto o fazia foi o verdadeiro exercício. “Bóra” treinar peladas?

 

*O treino criado por WH para malhar em casa – pelada – em frente ao espelho pode ser encontrado na edição de setembro da revista Women’s Health.

COMPARTILHAR