Taís Araújo: “Quando eu faço exercício com disciplina, tudo melhora”

Por Camila Borowsky, redatora-chefe da WH Brasil

Taís Araújo foi a estrela da Naked Issue, ou a edição nua (em tradução livre), da WH Brasil

taís araújo womens health
Foto: Bob Wolfenson / Beauty Wilson Eliodorio

Taís Araújo foi capa e recheio da nossa edição de setembro e falou com a WH Brasil sobre a sua rotina de treinos e seus cuidados. A atriz foi obrigada a parar de se exercitar por um problema de saúde, mas sabe que logo voltará à rotina de malhação

Quando você se olha no espelho, se acha bonita? 

Taís Araújo: Não sempre. Tem dias que sim e dias que não. Não ando me sentindo na melhor forma, mas é que tem muito tempo que não faço exercícios. Tive um problema sério nos meus dois joelhos, fui tentar voltar, não cumpri a fisioterapia e senti dor. Aí pensei: “Ai, meu Deus! Preciso arrumar meu joelho antes de malhar”. Ao mesmo tempo, penso que em janeiro eu começo a gravar o Mister Brau. Em algum momento vou ter que parar de beber, parar de comer e voltar a correr. Mas como vou fazer isso se meu joelho está ferrado? Eu não estou no corpo que a personagem da Michele exigiria que eu estivesse, mas não estou nem aí porque estou de férias desde dezembro. Hoje, por exemplo, tenho um almoço com uma amiga minha. Acordei já pensando no que vou comer no restaurante que adoro. Poxa, eu já passo uma vida pensando em razão de personagem, sabe? E atendendo a uma demanda que não é minha. Então, quando eu tenho esse tempo, e ele é raro, aproveito. Aquele corpo da Michele não é o meu! Ele é conquistado. Aí me dei um tempo. Parei em dezembro e pensei: “Em março, acabou a palhaçada!”. Aí estamos em julho e ainda não consegui acabar a palhaçada [gargalhadas].

Acha que o seu corpo estava pedindo esse descanso?

Taís Araújo: Eu acho que estava. Até porque a Michele veio logo depois de uma gravidez. Tive que correr muito atrás, com muita dedicação. Mas o fato é que eu gosto de fazer exercício, mas preciso fazer com que ele de fato faça parte da minha vida. Sei o quanto ele é benéfico para a minha saúde, porque quando eu faço o exercício com disciplina, tudo na minha vida melhora: meu humor, a qualidade da minha alimentação, o sono… Isso eu entendo, mas não consigo colocar em prática sem ter como objetivo o trabalho. Queria fazer dele um objetivo de vida. Acho que isso tem que mudar em mim. E eu também tenho um problema que só gosto de fazer ginástica de manhã, quando eu acordo. Depois de um dia, esquece, não vou me jogar em uma academia, não vou fazer.

Você se sente mais bonita quando está fazendo exercício? 

Taís Araújo: Acho que sim. Quando estou fazendo exercício, eu me olho no espelho e penso: “Nossa senhora, voltei dez casinhas no jogo!” [gargalhadas]. Mas acho que tudo bem também não fazer, às vezes.

Da nossa pesquisa, 83% das mulheres revelaram o desejo de perder peso. Você não parece lutar contra a balança…

Taís Araújo: Meu problema não é peso, meu problema é qualidade de pele, tônus.

Qual parte do corpo que você tem mais confiança em exibir? 

Taís Araújo: Os braços [risos]! Tem uma coisa: da cintura para cima, eu vou ser sempre magra porque tenho corpo de brasileira. O que pega nem é do volume, porque não me incomodaria vestir dois ou três números acima, o problema é a qualidade. Porque junto com isso vem um monte de celulite, de gordura…

Qual parte do corpo ganha a maior atenção na academia?

Taís Araújo: Pernas, bumbum, culote…

Você fez ballet fitness por um tempo…

Taís Araújo: Foi meu melhor corpo quando fazia ballet fitness. Eu, inclusive, montei uma sala de ensaio na minha casa, com barra de balé. Eu estava investindo. A vontade existe. A força da vontade é que não [gargalhadas]. Mas comecei a fazer e senti o joelho enquanto dançava com salto 15 cm na gravação do Mister Brau. Tive uma condropatia patelar nos dois joelhos, que é o desgaste da cartilagem, e ela não se recompõe. E não é operável. É fisioterapia, fisioterapia e fisioterapia. Que eu não faço porque tenho preguiça. Mas sei que tenho que fazer. Senti melhora e sei que ela é essencial para eu recomeçar. E agora não tem mais gracinha. Vou ter que fazer. Se eu não fizer, não vou poder nem trabalhar.

Você já tentou pilates? 

Taís Araújo: Amo pilates. Sou pilateira. E amo ballett fitness, além de um outro alongamento com força, chamado C.Power Stretch, que é muito forte. Fazia com uma professora do Rio, a Cristina Bucher, ela usa tudo: barra, movimentos de pilates, da ioga, mas é um alongamento com muita força. Dá uma sensação de corpo trabalhado e lindo, alongado. E não é fácil de fazer. Às vezes entra na sala aquela pessoa da ginástica, da maromba, e não fica dez minutos. Não consegue fazer. É outro modo de usar o corpo, com o seu peso, sabe? Não tem a ver com força, com levantar 150 kg. Mas agora estou parada. Porém me preparando para voltar!

*Esse é um trecho da entrevista “De pele e Osso”, com Taís Araújo, foi publicada na ed. 97, de setembrode 2017, da Women’s Health Brasil. Você pode conferir a edição completa pelo nosso aplicativo, basta clicar aqui.

COMPARTILHAR