Quebrando a (rotina da) unha

Se sua manicure já consegue adivinhar seus pedidos, nós temos uma cartela de ideias para inspirar você a assumir alguns riscos

Foto: Shutterstock

Por Lika Rodrol

Uma coisa é tão certa quanto seus hábitos previsíveis na manicure: fazer pé e mão é um ritual de beleza imprescindível das brasileiras. Segundo pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), as famílias brasileiras gastam R$ 20,3 bilhões por ano com cabeleireiros, manicures e pedicures. Já que você está investindo tanto nesse mercado, que tal aproveitá-lo ao máximo e inovar nas suas escolhas?

HÁBITO: Sempre escolher o mesmo formato

Até as mais relutantes em mudar o corte de cabelo procuram repicar um pouco, alterar o comprimento ou ao menos fazer algumas luzes de anos em anos. Mas quando foi a última vez que você realmente alterou o formato das suas unhas?

O estilo quadrado já não é mais tão popular. Basta reparar nas mãos de ícones como Lady Gaga, Beyoncé, Demi Lovato, Rihanna ou até mesmo as brasileiras Cleo Pires e Juliana Paes. Elas encaram as unhas como uma espécie de acessório para compor o visual. “As pessoas sempre buscam referências de famosas. Por aqui, as ovais (a) são as mais procuradas porque ficam no meio termo, já que a stiletto (b) tem ponta muito fina, o que não é nada funcional no dia a dia”, explica Dori Pereira, manicure do salão Criar by Fabinho Araújo, de São Paulo.

Se ainda não se sente tão segura para arriscar, comece com o formato conhecido como caixão (c). São unhas que acabam ao menos 1cm além da ponta dos dedos e que mantêm o estilo quadrado, mas levemente lixadas nos cantos.

HÁBITO: Fazer as unhas na correria

A gente sabe que a rotina do dia a dia é frenética, mas esses erros acabam ocupando mais tempo do seu dia a dia, se levarmos em conta que fazer a manicure de maneira correta aumenta o período entre uma esmaltação e outra.

  • Assim como nosso corpo, unhas e cutículas também precisam ser hidratadas. O esmalte, o removedor e até as influências externas, como ar seco e poluição, danificam e prejudicam a saúde das unhas. Aplique óleo de cravo ao menos uma vez por semana.
  • Não ignore a base. Ela é fundamental na hidratação da unha e ainda ajuda a evitar resquícios que o esmalte pode deixar. Assim, sua unha não fica amarelada.
  • Atenção na hora de esmaltar: pinte do centro da base da unha para as pontas e laterais.
  • Nada de passar várias camadas de esmalte. Além de deixar um acabamento grosso, vai demorar mais para secar e descascar com mais facilidade.
  • Substituir o palito por cotonete não é boa ideia; ele não atinge todos os cantos da unha e ainda pode danificar a esmaltação.
  • Não abra mão de finalizar com extra brilho. Ele ajuda a aumentar a durabilidade do esmalte.
  • Mesmo usando óleo ou spray secante, é preciso respeitar uma pausa de, no mínimo,
    20 minutos antes de fazer qualquer atividade.

HÁBITO: não mudar o tom

Quando o assunto é tendência, temos uma avalanche de estilos: unhas de vidro, metálicas, com aplicações, ilustrações assimétricas, francesinhas… Mas as pesquisas ainda apontam que preferimos optar por um tom único, apropriado para uso diário. Para ficar no meio termo entre o seguro e o novo, não precisa se jogar na nail art, mas comece arriscando um tom diferente:

  • O azul escuro é o novo pretinho básico, e é ótimo para as amantes das cores mais profundas.
  • Na cartela dos clarinhos, saem os tradicionais “branquinhos” e entram os tons nude puxando para bege.
  • Se inicie nos metálicos com os básicos dourados ou prateados.
  • O coringa da estação é o vermelho, que ganha nuances abertas e fechadas sem perder sua sofisticação.

 

 

Arsenal pessoal

Um bom nécessaire de unhas é prático até mesmo se você sempre faz a manicure no salão. “Todos os equipamentos devem ser limpos e esterilizados para que não haja nenhum risco de contaminação, mas ter seu próprio kit evita esses problemas, já que os acessórios não serão divididos com mais ninguém”, explica Gê Araújo, do salão Studio Tez Spa do Cabelo, em São Paulo. Anote o que você precisa:

– um alicate removedor de cutícula,

– lixa

– espátula

– emoliente para cutícula

– base

– óleo secante

– extra brilho

Tirar ou não tirar? Eis a questão

Remover a cutícula ainda divide opiniões. “Minha recomendação é evitar. Sempre que possível apenas empurre-as levemente. Retirar em excesso pode causar micoses, infecção e inflamação. Além disso, ainda corre-se o risco de criar efeitos estéticos indesejados, como alterações de coloração e descamação na dobra da unha, que é aquela famosa “pelezinha” que sobe nessa região”, explica a dermatologista Paula Sanchez, de São Paulo.

Nail news

A empresa de pesquisas de mercado Mintel comprovou que houve crescimento de 35% na procura pela esmaltação em gel entre 2013 e 2015 – e a tendência é aumentar ainda mais. Experimente a técnica quando for viajar, já que ela promete durar até 20 dias sem descascar.

COMPARTILHAR