Nathalia Dill sobre alimentação: “Pão é quase um doce. Às vezes não aguento, mas tento evitar”

Por Camila Borowsky

Nathalia Dill alimentação
Foto Eduardo Bravin

“Macarrão com molho de tomate!”. Essa foi a resposta rápida de Nathalia Dill ao perguntarmos qual é o seu prato preferido, durante a entrevista para a WH Brasil.

Gente como a gente, a atriz revelou que não abre mão de uma boa massa, mas que tem optado por trocas espertas para manter a dieta em dia. “Cortei o pão total de manhã. […] Ele é quase um doce para mim. Às vezes não me aguento, mas tento evitar”, contou.

Quer saber mais sobre a alimentação da nossa capa de junho? Então confira abaixo a entrevista com Nathalia Dill:

Como tem cuidado da sua alimentação?

Estou com uma nutricionista muito legal agora, a Gabriela Ghedini, há dois meses. Procurei uma para me ajudar a conseguir ganhar músculos. Não é emagrecer, é tonificar. Estamos focando nisso.

Ela me passou uma alimentação sem muitas restrições, mas tentando colocar o máximo de proteína que der. Isso, para mim, é muito difícil, porque não tenho muita vontade de comer proteína. Não tenho muita vontade de comer carne, até evito um pouco…

Leia mais

Nathalia Dill sobre treino: “é mais difícil tonificar o corpo do que perder peso”
Giovanna Ewbank sobre dieta sem carne: “Não forço ninguém a parar”
“Prefiro meu corpo sem estar em perfeita forma”, conta Deborah Secco
O treino e o cardápio que ajudam Débora Nascimento a manter a forma

Como é um dia no cardápio da Nathalia Dill?

Sempre algum ovo de manhã (ou crepioca ou panquequinha) e um suco (ou chá). No lanche da manhã são cinco damascos e três castanhas-do-pará [gargalhadas!]. Pensei que ia morrer de fome. Fui gravar, deu aquela hora entre o café e o almoço, comi isso e fiquei bem. Se ingerir a quantidade certa, na hora certa, a coisa acontece. Aí, quando fiquei com fome de novo, já era hora do almoço. Nele invisto em uma proteína, um legume, um carboidrato, mas não muito. Uma batata ou batata-doce.

Meu problema com o carboidrato é que eu amo comida italiana. Ontem à noite comi um risoto, que eu não podia [risos]. Meu namorado [o músico Pedro Curvello] fez uma massa quando cheguei em São Paulo. Não podia também [mais risos].

Cortei o pão total de manhã. Meu namorado me disse estes dias: “Você não gosta de pão, né?”, e eu respondi, incrédula: “Queeeeeê?” [gargalhadas altas]. Mas achei legal a visão, porque eu cortei mesmo. Como raramente. O pão é quase um doce para mim. Às vezes não me aguento, mas tento evitar. À tarde acabo comendo sempre uma barrinha de proteína. E, depois, uns nuts. No jantar, às vezes sopa, às vezes legumes com peixe, saladinha… Estou indo bem.

Tem alguma coisa que você não come de jeito nenhum?

Eu enjoei de pepino. Fazia um suco com ele e acho que comi demais.

E algo que nunca sai da sua dieta?

Macarrão. Com molho de tomate. O mais básico. Com um pouquinho de queijo ralado. Não como pão para poder comer macarrão.

Você é do tipo que curte cozinhar? Se sim, o quê?

Não… Eu curto comer, dou ideia, mas cozinhar, não sei… Fiz estes dias o pior ovo mexido da vida. E olha que é difícil fazer um ovo mexido ruim. Botei até semente de girassol. Ficou horrível! Mas eu também estava com muita pressa… [risos].

Não acabou por aqui, não! Se você quer conferir a entrevista com Nathalia Dill na íntegra, garanta sua revista nas bancas mais próximas ou adquira a edição digital da WH Brasil de junho aqui!