Eca! Morder as unhas pode causar infecção por fungos

Por Cassie Shortsleeve e Emilia Benton – Women’s Health EUA

Foto Shutterstock

Roer as unhas é uma espécie de hábito digno de constrangimento, mesmo que não pareça ser algo péssimo, certo? Não exatamente. Acontece que suas unhas feias não são o pior dos seus problemas. Acredite: morder as unhas pode causar infecção por fungos.

“Essa ação pode realmente levar a alguns outros problemas de saúde”, diz Robin Evans, dermatologista da Southern Connecticut Dermatology e instrutora clínica no Albert Einstein College of Medicine, em Nova York (EUA).

O problema principal? Morder os dedos pode remover tanto a unha que aumenta o risco de desenvolver infecções inflamatórias como paroníquia (uma infecção bacteriana ou fúngica).

Leia mais

Blogueira mostra verdade dolorosa por trás das unhas de acrílico
Por que minhas pelinhas ao redor das unhas levantam?
Jovem perde polegar após desenvolver câncer por morder pele dos dedos

“Se você morde suas unhas tão curtas que tira sangue (sim, isso acontece), pode abrir sua pele para outros vírus, como verrugas e até infecções fúngicas. E se você fizer isso por um longo tempo, pode eventualmente afetar a matriz da unha (também conhecida como a raiz da unha), que pode causar unhas deformadas e retorcidas”, diz Susan Bard, dermatologista da Vive Dermatology Surgery and Aesthetics, em Nova York (EUA).

Sem contar, é claro, que morder as unhas é bastante insalubre. “Você não só pode transferir a infecção de suas mãos sujas para a boca, mas também pode transferir infecções da boca para as mãos”, diz Bard.

Bom, está muito claro que roer as unhas é uma péssima ideia. Mas se ainda assim você não consegue perder esse vício, experimente estas técnicas para começar a tentar.

6 dicas para parar de roer as unhas

1. Compre alguns esmaltes que fazem você não por a mão na boca

“Alguns produtos têm mau gosto e podem ser suficientes para quebrar o hábito”, explica Chris G. Adigun, dermatologista e especialista em unhas em Chapel Hill, Carolina do Norte (EUA).

2. Procure uma verdadeira manicure

De acordo com The American Academy of Dermatology, um “lembrete” caro e bonito em suas unhas pode ser o suficiente para abandonar o hábito. Faz sentido: se elas já estão feitas, é menos provável que você queira estragar o trabalho.

3. Conheça seus gatilhos e como evitá-los

“Identifique quando e onde sua tensão se desenvolve”, diz Kieron O’Connor, diretor do centro de estudo do espectro do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) da University of Montreal (EUA).

Por exemplo, talvez você perceba que, quando está com um prazo apertado, sente a necessidade de fazer algo com as mãos – e então suas unhas se transformam em tocos. Saber disso e descobrir o que O’Connor chama de “ação concorrente” (como colocar as mãos nos joelhos em vez de na boca quando se sentir ansioso) pode ajudá-lo a mudar sua reação ao estresse.

Outras estratégias de relaxamento, como a respiração profunda, também podem ajudar. “Conseguiu ficar sem morder? Recompense a si mesma”, sugere O’Connor com algo que você goste (sem ser roer unhas, claro!).

4. Não seja tão dura consigo mesma

“Os mordedores de unhas tendem a ser perfeccionistas”, diz O’Connor. Mas esforçar-se demais pode te levar a sentir que nunca está fazendo o suficiente (mesmo que esteja). “Esse tipo de situação desencadeia a vontade de roer unhas”, observa ele.

Soa familiar? Faça um balanço das suas expectativas. Talvez você esteja definindo metas que não são realistas, ou talvez não esteja se dando crédito suficiente. Então pense: “Qual é um objetivo desafiador, mas atingível?” ou “Como estou me saindo comparado a outras pessoas na minha posição?”. “O objetivo aqui é evitar que morda as unhas em primeiro lugar, abordando os pensamentos e emoções que causam isso”, diz O’Connor

5. Troque por um hábito melhor

Uma forma de trabalhar para quebrar esse hábito é ter consciência de quando você está fazendo isso, em vez de ficar fazendo isso de forma distraída. “Então, mude para outro comportamento, como sentar em suas mãos, mascar chiclete ou chupar pastilhas ou balas”, diz Evans.

Algo importante a ter em mente, porém: “são necessárias cerca de três semanas para quebrar um hábito e formar um novo”, diz Bard. Por isso, é importante não desistir cedo demais.

6. Converse com alguém sobre isso

Às vezes você simplesmente não consegue parar. “Se você tem complicações médicas por morder – ou se o seu hábito está ligado a questões psicológicas, como transtornos de ansiedade (ou você acha que poderia ser) – um profissional de saúde pode fornecer o apoio que você precisa”, diz Adigun.

Então, se você acha que seu vício está obstruindo a vida cotidiana, marque uma consulta. Existem muitos profissionais especializados em doenças como TOC e ansiedade que podem ajudar a resolver suas preocupações – e esperamos ajudá-la a acabar com esse hábito de vez.