Conheça a história de Renata França, esteticista queridinha das famosas

Por Larissa Serpa

Foto Julia Rodrigues | Ilustrações Rubi Okamoto

Poucos poderiam imaginar, 20 anos atrás, que um dos nomes de grande referência no mundo quanto à estética corporal – e o maior no quesito massagem com o Método Renata França – sairia do município de Ilhéus, na Bahia. Nem ela mesma.

Renata, hoje com 37 anos, sonhava em apresentar o programa Fantástico mas, quando não passou no vestibular, sua vida tomou outro rumo. “Nessa época, minha mãe montou um salão de beleza para ajudar na renda familiar, e eu e minhas irmãs trabalhávamos como assistentes enquanto não entrávamos na faculdade”, conta.

Quando a coordenadora de um spa com várias unidades pelo Brasil lhe ofereceu uma vaga como massagista (depois de gostar do seu toque em uma lavagem no couro cabeludo), ela aceitou. “A unidade em Ilhéus cava no Hotel Transamérica, onde pessoas importantes se hospedavam. Pensei: ‘Vai que alguém de renome me descobre por lá e me põe para apresentar o Fantástico’”, ri.

Até então, Renata não havia adquirido gosto pela massagem. “Me remetia às minhas férias de criança, quando uma tia nos visitava e pedia massagens em troca de 50 centavos. Eu odiava, mas, como vínhamos de um lar com pouco dinheiro, aceitava.”

Foi após três meses no spa que ela enxergou o outro lado da prática. “É incrível. Você encontra uma pessoa que nunca viu e, em questão de minutos, ela está nua contando a vida, chorando. Atendi pessoas do mundo inteiro, de diferentes cores, religiões… E percebi que, no íntimo, as angústias são as mesmas. É mais que um contato físico, é um contato emocional”, diz.

Leia mais

Conheça os benefícios dos óleos vegetais para o corpo
Entenda por que cafeína ajuda a diminuir a celulite
Acelere seu sistema linfático para não ficar mais inchada

Mas Renata começou a ter dificuldades quando os clientes a pediam para massagear áreas usando nomes técnicos. “Vi a necessidade de estudar anatomia. Mas e meu sonho de ser jornalista?” Foi então que ela teve, como conta, uma D.R. (discussão de relacionamento) com Deus. “Eu falei para ele, aos prantos: ‘O senhor sabe que eu queria ser jornalista, mas, já que está me colocando nesse caminho, eu não quero ser a melhor do estado nem do país, quero ser a melhor do mundo!’.”

Um ano depois, um tio ligou para sua mãe oferecendo uma casa em São Paulo para que Renata e sua irmã pudessem estudar. Ela se transferiu para a unidade do spa na cidade e foi com o sonho de entrar no curso de fisioterapia. Quando chegou, seu tio mostrou onde cariam. “Ele não tinha uma casa. Um amigo emprestou um espaço em uma escola. Dormíamos entre as carteiras da sala de aula e tomávamos banho gelado”, conta ela. R

enata e a irmã usavam um edredom fino como cama e, em noites frias, revezavam para dormir. “Nossa mãe tinha mandado um secador de cabelo na mala. Enquanto uma dormia por meia hora, a outra a esquentava com o jato quente. Íamos trocando até a hora de trabalhar.”

No spa, a “caixinha” que os clientes deixavam possibilitou guardar dinheiro para um curso no Senac. “Percebi que não conseguiria fazer fisioterapia pois era hipocondríaca, mas a grade do curso de estética era a mesma da de físio. E eu tinha aulas com médicos renomados.” Os docentes contavam sobre casos de óbito após lipoaspirações – na época, a técnica era novidade e muito perigosa. “Passei a dar ainda mais valor para as mãos como meio estético.”

Já conseguindo alugar um apartamento para ela e a irmã, Renata se tornou coordenadora técnica do spa e foi instruída a criar uma massagem que, um mês depois, tinha até la de espera. “Quando eu soube disso, perguntei quanto estavam cobrando pela hora. Eram
R$ 1.500! E eu ganhando R$ 2!” Um dia, uma moça de biótipo magro pediu uma massagem modeladora mas, mesmo aplicando pouca pressão, ela reclamava de dor.

Dois dias depois, outra cliente, de mesmo biótipo, pediu uma drenagem, que Renata observou que não estava fazendo efeito. “Aquilo me deixou curiosa. Conversando com as duas, vi que a primeira bebia, cava acordada até tarde… Ela estava com o corpo inchado de toxinas e se beneficiaria da drenagem. E a segunda, que comia certinho e malhava, da modeladora.”

Mas, na época, isso não era sabido. Foi observando esses padrões e aliando aos seus estudos que Renata desenvolveu uma massagem unindo as duas técnicas e passou a ir na casa de clientes aplicar. Através de indicações, ela atendeu a stylist Manu Carvalho, que se apaixonou pela baiana e a indicou para Taís Araújo.

A atriz na época testava vários procedimentos para o programa Superbonita (GNT) e disse à Renata que nunca havia visto um resultado daqueles. Anos depois, e atendendo muitas famosas após indicações da Taís, Renata foi convidada para abrir um SPA dentro de um salão da capital. “Me falaram que precisariam de um nome para a massagem. Taís a chamava de ‘milagrosa’ e, como eu valorizo muito o toque, surgiu o nome ‘Miracle Touch’.”

Três anos atrás, uma estranha a abordou no salão. A mulher contou que trabalhava no Google e havia vindo para São Paulo conhecer quatro profissionais, entre eles, a Renata, que, dentro de seu segmento, era o nome mais procurado no mundo. “Foi aí que eu me lembrei da D.R. que tive com Deus e agradeci muito.”

De lá para cá, Renata abriu seu próprio SPA e cursos para passar seu conhecimento para suas “pupilas”, como chama. Mais que uma vontade, o ensinamento foi uma necessidade, já que sua técnica é requisitada em todo o planeta pelos corpos mais admirados. Hoje, já são quase 7.000 alunas em 28 países que, como Renata, mudaram de vida com apenas um toque e muita determinação.

Três pupilas de Renata contam sua experiência

» VÂNIA SILVA, do Studio Beleza Natural, em São Paulo

“Eu era faxineira e, em 2005, resolvi trabalhar com estética. Fiz curso de massoterapia, de depilação, sobrancelha… Mas não estava dando retorno. Na época, eu me divorciei e comprei um apartamento, mas não conseguia pagar. Uma amiga, então, me falou da Renata. Juntei dinheiro trabalhando como garçonete para pagar o curso e mudei de vida. Em 15 dias, ganhei clientes valiosas. Em um mês, fui contratada pela TV Cultura como massagista e, hoje, tenho meu próprio estúdio. Se antes eu mal conseguia pagar as contas, agora fecho o mês com R$ 20.000 de lucro.”

» FÁTIMA OLIVEIRA, atendimento home care, do Rio de Janeiro

“Sou fisioterapeuta há nove anos e conheci o método da Renata ano passado. Confesso que duvidei do poder ‘milagroso’, mas resolvi arriscar e fazer o curso. Desde então, minha vida mudou em todos os sentidos. Meu faturamento quadruplicou e eu atendo famosas como Bruna Marquezine, Marina Ruy Barbosa e Giovanna Ewbank, entre outras. Mas, o mais importante para mim, foi o empoderamento que Renata me passou. Hoje me sinto confiante, forte e feliz! Trabalho com muito amor, e o sucesso é mera consequência!”

» LIZZI FREITAS, atendimento home care, de Porto Alegre

“Eu trabalhava como doméstica para uma dermatologista que achava que eu tinha potencial para estética. Ela me deu um curso de presente e comecei a trabalhar na sua clínica. Fiz faculdade na área, mas, mesmo assim, não estava plenamente feliz. Um dia vi um post da Bruna Marquezine falando sobre a Renata. Juntei toda a grana que eu tinha e resolvi ir atrás do curso dela. Eu me apaixonei de cara, mas fiquei ainda mais surpresa com o retorno que recebi de clientes. Em uma única postagem que z no Instagram, quatro mulheres já vieram me pedir para agendar horários. Renata e sua equipe zeram eu me sentir como um membro da família, e hoje estou realizando todos os meus sonhos – pessoais e financeiros – um a um.”

Auto Miracle Touch

“De tanto pedirem, desenvolvi uma automassagem baseada nos mesmos princípios da Miracle Touch. Foram seis meses para aperfeiçoá-la, nos quais perdi 10 kg porque treinava em mim mesma”, conta Renata.

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

10.

11.

12.

13.

14.

15.