Aposte no jiu jitsu para emagrecer e manter a saúde em dia

Por Ana Paula Ferreira

Créditos: Shutterstock

Não é de hoje que as mulheres estão cada vez mais interessadas – e conquistando espaço! – no mundo da luta. Além de serem atividades prazerosas e desafiadoras, as modalidades ainda ajudam a cuidar do corpo e da saúde. Prova disso é o jiu jitsu, modalidade que tem como uma de suas principais vantagens o rápido emagrecimento, além de diminuição da pressão arterial e glicemia, por exemplo.

De acordo com Chiara Brandão, cardiologista e médica do esporte, de São Paulo, uma hora de aula de jiu jitsu pode queimar até 1000 calorias, favorecendo a queima de gordura e trazendo outros benefícios como fortalecimento muscular, aumento da força, flexibilidade, autoconfiança , controle do estresse e, consequentemente, mais qualidade de vida.

Ficou com vontade de fazer um rola no tatame? Então confira abaixo tudo que você precisa saber sobre a modalidade!

Cuidados no jiu jitsu

Por ser uma atividade completa e que trabalha o corpo inteiro, ela requer alguns cuidados especiais antes, durante e depois do treino. “Antes de tudo, é preciso se atentar às condições de saúde da aluna e certificar-se de que ela está apta a fazer uma atividade física tão puxada como o jiu jitsu”, explica Chiara.

A profissional indica que seja feita uma avaliação médica bem completa antes de iniciar na modalidade. “Isso é essencial, principalmente para descartar problemas cardiovasculares e osteoarticulares que possam impedir a prática.”

E a alimentação?

Se for aprovada nos exames médicos, a aluna deve buscar ajuda de um profissional de nutrição para manter uma dieta equilibrada, que supra as necessidades do corpo para encarar esse treino mais pesado.

Leia mais
10 exercícios de luta de Fiorella Mattheis
Boxe: os exercícios podem machucar minhas mãos?
Conquiste mais força e condicionamento com o kickboxing

“É muito importante que a praticante tenha uma dieta balanceada entre proteínas, carboidratos e gorduras, além de horários corretos. Por exemplo, antes do treino, deve-se priorizar o consumo de proteínas associado a alguma fonte de carboidrato de baixo índice glicêmico, como batata doce, arroz integral, mandioquinha ou pão integral”, orienta a cardiologista. Já no pós-treino, ela indica manter a fonte de proteína e associar uma fonte de carboidrato de alto grau glicêmico, como arroz branco, macarrão e batata.

As gorduras devem ser distribuídas entre todas as refeições – as melhores opções são oleaginosas, azeite de oliva, peixes (atum, sardinha, salmão) e abacate. “Importante lembrar que, assim como as fibras, as gorduras devem ser evitadas imediatamente antes dos treinos, pois podem causar desconforto gástrico.”

Contraindicações

Embora o jiu jitsu ofereça diversos benefícios à saúde, ele não é indicado para pessoas que tenham problema cardíaco já que exige muito esforço físico e acelera o metabolismo, podendo provocar problemas graves como arritmias, infarto agudo do miocárdio e morte súbita. “O cuidado não é algo supérfluo na prática de exercícios e é imprescindível que um médico libere a pessoa, principalmente para os treinos mais pesados como é o caso do jiu jitsu”, reafirma Chiara. “

Já para quem tem problemas articulares, o ideal é perguntar primeiro ao ortopedista se há liberação para a prática. Como a modalidade tem muitos movimentos de rotação de quadril  e coluna, pode piorar ainda mais o quadro do paciente, sobretudo se tiver impacto direto da articulação doente contra o chão.