Ficar muito tempo sentada envelhece oito anos. Será?

Talvez o problemas não seja exatamente a cadeira

shutterstock

Kristen Dold e Vanessa de Oliveira e equipe exclusiva de especialistas*

A QUESTÃO Não é a cadeira o problema, mas sim o sedentarismo. A corrente começou quando essa alusão foi feita por pesquisadores da California University (EUA) para chamar atenção para a situação. Na verdade, os ponteiros do relógio biológico andam mais depressa também para quem passa o dia em pé, se essa pessoa praticar zero atividade física.

A SOLUÇÃO Torne o dia a dia mais ativo dando voltas no quarteirão na hora do almoço e programando alarmes a cada duas horas para lembrá-la de que você precisa de uma pausa para alongar. Além disso, organize sua agenda para atingir pelo menos a cota de exercício proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS): 150 minutos semanais de atividade física moderada. Dá para atingir isso com 30 minutos de caminhada durante o horário de almoço.

Leia mais:

HÁ PESSOAS COM FACILIDADE NATURAL PARA CORRER, LEVANTAR PESO OU ESCULPIR MÚSCULOS?

CONQUISTE A PELE PERFEITA AO INCLUIR ESTES ALIMENTOS NO MENU

*Especialistas: Rodrigo Ruiz, personal trainer (SP), Fernanda Muller, nutricionista (RJ), Denise Barcelos, dermatologista (RJ), Maria Edna de Melo, endocrinologista e presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (SP), Bárbara Murayama, ginecologista e coordenadora da Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho (SP), Travis Stork, médico emergencista e apresentador do programa de TV norte-americano The Doctors (EUA), Andrew Ordon, cirurgião plástico, otorrinolaringologista e coapresentador do programa The Doctors (EUA), Jennifer Berman, urologista e especialista em saúde sexual da mulher (EUA), Nita Landry, ginecologista obstetra (EUA), Sonia Batra, dermatologista (EUA), Keri Glassman, nutricionista (EUA), Hannah Davis, personal trainer (EUA)

COMPARTILHAR