Eu venci um câncer: tratamento íntimo melhora vida sexual das mulheres

Procedimento estimula a regeneração e a formação de colágeno na vagina

Ao longo de uma luta contra o câncer, algumas reações podem ser sentidas pelos pacientes. Nas mulheres, o tratamento pode interferir na produção de hormônios e acabar afetando a sua vida sexual, inclusive depois dessa batalha ter sido vencida. Mas um procedimento a laser chamado Femilift pode ajudar a dar fim a esse desconforto.

Eu venci um câncer: Leitora conta como o linfona mudou sua vida

De acordo com a ginecologista, obstetra e mastologista Ana Lúcia Sayeg, a mulher em tratamento contra o câncer pode sentir a vida sexual afetada porque a parte vaginal começa a ter uma secura por conta da atrofia e da lubrificação alterada. “A parte do PH vaginal também sofre mudanças. Com o PH baixo toda a flora bacteriana do local fica alterada e a mulher também não consegue ter o cheiro adequado tendo ainda corrimentos e dor”, explica.

Procedimento

Após ser introduzida no canal vaginal, uma ponteira (que recebe uma “capa” de proteção descartável) emite raios de laser de maneira fracionada que, ao atingirem a parede da vagina, estimulam a regeneração e a formação do colágeno através da geração de calor. Por ser indolor, não é preciso anestesia.

Como, além da lubrificação, o tratamento também aumenta a contração dessa região, o procedimento chega a ser um aliado nos casos de incontinência urinária.

Frequência

A orientação é que sejam feitas três sessões. Cada sessão tem um valor aproximado de R 3 mil. Os resultados podem ser sentidos 20 dias após o primeiro procedimento. Já que não é necessário fazer repouso, a paciente pode retornar à rotina imediatamente. Para relações sexuais é preciso esperar entre 3 e 5 dias, de acordo com a orientação médica.

*Lembre-se, antes de tomar qualquer decisão, converse com um especialista de confiança para ver o que é melhor para o seu caso.

COMPARTILHAR