Eu venci um câncer: nossa redatora-chefe conta como uma “gastrite” mudou a sua vida

Camila chegou a passar por quatro cirurgias em 60 dias

Por Camila Borowsky, redatora-chefe da Women’s Health Brasil

O ano era 2010, eu estava com 28 anos e cheia de vida, fora aquela dorzinha da gastrite que insistia em aparecer. Marquei uma consulta com a gastro. Ela, para a minha surpresa, fez algo que muitos médicos deixam passar: me examinou – espiou dentro dos meus olhos, mediu a pressão e apalpou o meu pescoço. Nesta última parte, ela gastou um pouco mais de tempo. “Tem uma bolinha ali, mas não deve ser nada. Vou passar um ultrassom cervical.” Senti medo.

O exame constatou um nódulo de 2 cm e fui encaminhada para um especialista em cabeça e pescoço (coisa que, até então, nem sabia que existia). Ele optou pela cirurgia e me abriu o leque de situações que poderiam aparecer no resultado – uma mais terrível que a outra. “Mas pode não ser nada!”, dizia. Lá fui eu. Na primeira análise do tumor: benigno. Mas ainda precisava esperar pela resposta final da biópsia. E essa veio maligna: carcinoma papilífero, o tipo mais comum de câncer na tireoide. Teria que operar novamente e retirar toda a glândula. E, por complicações, ainda foi preciso abrir meu amado pescocinho outras duas vezes, em um total de QUATRO cirurgias em 60 DIAS.

Eu venci um câncer: jornalista conta como o ciclismo foi seu aliado durante batalha

Em nenhum momento achei que não fosse dar certo. Mantive meu pensamento positivo e resolvi tomar as rédeas – ser a general de um exército de células. Eu que mandava, não elas. Depois da recuperação das cirurgias, eu ainda passaria pela iodoterapia, quando fiquei trancada em um quarto chumbado tomando radiação via oral. Esse procedimento durou mais dois dias (na nossa edição de outubro falamos sobre tratamentos de câncer na matéria “Por todas as frentes”). A partir de então, era vida nova: tomar hormônios e vitaminas para suprir o que meu corpo não faria mais sozinho e encarar a rotina de outro jeito: com mais exercícios, mais comida de verdade, mais calma.

Depois de cinco anos de exames frequentes, recebi alta. Estou curada. Venci o câncer. E, a cada dia, ouço muito mais histórias de pessoas que nocautearam a doença, em vez do contrário. Por essa razão decidi junto à equipe WH criar uma campanha de positividade. Você também passou pelo câncer e hoje está ótima para contar sua história? Envie um e-mail para atendimento@revistawh.com.br ou poste uma foto no Instagram marcando #euvenciumcancer e #whbrasil contando como foi essa fase da sua vida. Faça parte dessa campanha e ajude a fortalecer mulheres e mostrar que é possível vencer.

COMPARTILHAR