É possível engravidar usando DIU?

Por Redação WH EUA

Engravidar com DIU
Foto Shutterstock

Claro que há muitas razões para uma mulher escolher colocar um dispositivo intrauterino (DIU). Mas o principal motivo para deixar esse contraceptivo no seu útero é evitar uma gravidez. Então, afinal, é possível engravidar usando DIU?

Segundo o Planned Parenthood, o método é 99% eficaz na prevenção de uma gestação. Mas ainda há uma pequeeeeeena chance de você engravidar com ele – e isso não é uma informação reconfortante quando você está contando que ele fará seu trabalho da melhor maneira possível.

Lucy Hellein, do Alabama (EUA), mexeu com muitas mulheres quando postou a foto de um bebê segurando um DIU com a seguinte legenda: “Falha do Mirena”, lá em 2017. Ela contou depois em entrevistas que a imagem era real – ele não nasceu com o objeto em mãos, mas uma enfermeira colocou o DIU na mão do seu filho, Dexter, depois de encontrá-lo durante uma cirurgia cesariana.

Leia mais

Tudo que você precisa saber sobre cada tipo de DIU
6 coisas que você precisa saber sobre sexo com DIU

Porém, a ideia de uma mulher engravidar usando o DIU é ainda mais alarmante para quem conta apenas com esse contraceptivo como forma de controle de natalidade. Mas vale a pena se preocupar tanto? Aqui está tudo o que você precisa saber se pode ou não enegravidar usando DIU.

Como o DIU funciona?

Um DIU é um dispositivo pequeno em forma de T, que é inserido no útero em um procedimento rápido. O processo de inserção é sentido de forma diferente para cada uma. Para algumas, especialmente as que já deram à luz, ela quase não é sentida.

Para outras, contudo, pode ser um procedimento doloroso, especialmente se o médico contar com dilatadores para abrir o colo e colocar o DIU no local correto. A boa notícia é que o pior desconforto acabará em poucos minutos. Mas é possível que você experimente cólicas e sangramentos por três a seis meses após a inserção.

Há dois tipos de DIU – o sem hormônios e o hormonal – ambos com a mesma forma de T e pequenos fios na extremidade. O hormonal, como o Mirena, previne a gravidez liberando o hormônio progestina, que engrossa o muco do colo do útero para impedir espermatozoides de fertilizarem um óvulo. Ele também mantém a parede do útero mais fina, o que não faz dela um bom ambiente para a fertilização, diz Sherry A. Ross, obstetra e ginecologista dos Estados Unidos.

Já o DIU não-hormonal previne os espermatozoides de alcançarem o óvulo atuando como um espermicida, segundo o U.S. Department of Health and Human Services (HHS, dos EUA). Eles geralmente duram de três a cinco anos.

Como uma mulher pode engravidar usando DIU?

Vamos repetir que o risco de uma mulher engravidar com DIU é muito, muito, muito pequeno. Segundo a HHS, menos de uma mulher em cada 100 engravida usando o dispositivo. “Se ele é inserido corretamente, é 99.9% eficaz – mais que uma vasectomia”, aponta Sherry.

Mas pode acontecer? Sim. “No caso de Lucy Hellein, o DIU não deve ter sido inserido de forma correta ou pode ter saído do lugar após a colocação”, explica Sherry. É por isso que ela sempre usa um aparelho de ultrassom após a realização do procedimento – para garantir que o dispositivo está no lugar que deve estar. É também por isso que médicos recomendam às pacientes voltarem ao consultório um mês após a inserção para garantir que o DIU está posicionado corretamente no útero.

Leia mais

Mulher descobre DIU perdido no abdômen 11 anos após procedimento
7 efeitos colaterais do DIU de cobre que você precisa conhecer

Você também consegue perceber alguns sinais de que ele saiu do lugar, como sangramento irregular ou dor pélvica, avisa Sherry.

E ainda é possível sentir os fiozinhos do seu DIU. Como? Sente-se ou agache-se e insira um dedo na vagina para encontrar os fios. “Você precisa subir um pouquinho e geralmente consegue senti-los com a pontinha dos dedos”, fala Christine Greves, obstetra e ginecologista no Winnie Palmer Hospital for Women and Babies (EUA). Diferentemente do fiozinho do seu tampão, os do DIU se parecem mais com um fio dental mais rígido.

Então, se tem buscado pelos fiozinhos e os encontrou no lugar certo, ótimo. Mas, por favor, não puxe-os. Se o DIU sair, nem que seja apenas um pouco, você pode perder proteção e seu médico pode precisar removê-lo.

O que acontece se você engravidar usando DIU?

Se descobriu uma gestação por meio de teste de gravidez de farmácia e acredita que o DIU está no lugar correto, ligue para o seu médico – por muitas razões. Primeiro, porque ele pode conseguir remover o dispositivo para reduzir o risco de abortamento espontâneo ou outras complicações.

Engravidar com DIU também coloca a mulher em risco de uma gestação ectópica, quando um óvulo fertilizado cresce fora do útero (em 90% dos casos, nas trompas) e tem como sintomas – além dos comuns de gravidez – dor na lombar, incômodos abdominais, cólicas e dores pélvicas. E, à medida que o feto cresce, os sintomas podem se agravar, trazendo dor severa. Essa situação requer uma visita de emergência ao médico, já que uma gravidez ectópica pode oferecer risco à mãe.

Vale lembrar: Você realmente não deveria deixar o medo impedi-la de usar o DIU como método anticoncepcional. “Ele é muito seguro, eficaz e ótimo contraceptivo para as mulheres, especialmente aquelas sensíveis aos hormônios”, finaliza Sherry.