Conheça 4 programas para aumentar sua libido e prazer

Sugestões vão de meditação a retiros sexuais

Fotos de Jonathan Taylor

Por Carrie Weisman e Francini Vergari

Você marca médico quando a dor de cabeça não passa, aumenta o tempo de esteira se o colesterol está alto e muda a alimentação em caso de anemia. Mas e quando sua libido está baixa? “Sexo é um aspecto do bem-estar extremamente inexplorado”, aponta a norte-americana Beth McGroarty, diretora do departamento de pesquisa da empresa SpaFinder Wellness 365, que descobriu que isso vem mudando.  Muitas novidades têm surgido para nos ajudar a elevar a libido e a autoestima – que, sim, está ligada (e muito) ao prazer. E como os novos métodos no mercado têm ajudado nessa nossa exigência? É isso que WH conta agora para você.

1Cursos online

Você percebe que aulas de educação sexual não são mais tabu quando a atriz queridinha Emma Watson admite acessar sites focados em melhorar o desempenho sexual. O OMGYes.com (disponível em português) é uma plataforma interativa que usa vídeos tutoriais para ensinar 12 maneiras de experimentar e intensificar o prazer através da estimulação do clitóris. As usuárias primeiro assistem aos vídeos de mulheres reais explicando como as técnicas funcionam, seguidos de outros em que elas aplicam em si mesmas. Para acessar o conteúdo é necessário pagar R$ 50.

É para você?

Vamos deixar bem claro: é bem diferente de um vídeo pornô, já que as técnicas são baseadas em pesquisas e estudos reais. Se você prefere aprender sozinha – e na privacidade da sua casa –, essa pode ser a escolha ideal. “Aprender a se masturbar, além de fazer bem a si mesma, ajuda a mulher a direcionar o parceiro, tornando até mesmo o sexo a dois mais prazeroso”, afirma a sexóloga Elaine Pessini, de São Paulo.

2Meditação

Quase qualquer problema relacionado à ansiedade pode ser resolvido por meio da meditação, então por que seria diferente com o sexo? “A ideia é entrar em contato com sua essência, tanto com o corpo como com a mente”, conta Priscila. Sabe ao final daquela sessão de ioga, quando o instrutor pede para imaginarmos um lugar calmo, som do mar, pés na areia? “Tudo o que eu faço é pedir para os casais criarem a ilusão de que estão no ápice da sua vida sexual”, explica o norte-americano Richard Barker, especializado em técnicas de hipnose. Visualizar e recriar na cabeça momentos que você quer ter com seu parceiro – ou qualquer pessoa – fortalece a mente para se convencer de que aquela é você: sexy e desinibida. O Sattva Tantra (sattvatantra.com), com unidades em São Paulo, Rio de Janeiro e várias cidades de Minas Gerais, oferece a técnica de meditação.

É para você?

Muitas limitações sexuais estão ligadas à ansiedade – timidez é uma delas. Diferentemente do curso online, que ensina técnicas físicas, ou do retiro, que foca na intimidade do casal, meditar faz com que você use o poder do seu subconsciente para se desinibir e vestir – ou tirar – a camisa de femme fatale na hora H.

3 Aulas de percepção corporal

Algumas são mais óbvias – quem aí logo pensou em pole dance? –, mas o leque de exercícios que ativam a sensualidade e o contato com o próprio corpo é muito maior. É o caso, por exemplo, da dança do ventre. Ela é  indicada por quem quer dar aquele boost na vida sexual. “Com a movimentação, você se sente mais desinibida e passa a gostar mais do seu corpo. Além disso, existem ações que podem ser reutilizadas na cama ou ao se masturbar, como os ‘oitos’, em que você faz uma onda com o tronco”, explica Solange Andrade, professora da modalidade, de São Paulo.

Mas se já quer ir direto ao ponto, o pole pode ser o mais indicado. “As mulheres que nos procuram já vêm com o intuito de aumentar a autoestima sexual e usar a sedução como poder”, explica Adriane Salamandra, de São Paulo, formada em comunicação das artes do corpo.

É para você?

Se o seu objetivo é autoconfiança – independentemente do sexo –, inscreva-se. Mesmo que o lado narcisista não seja sua praia, os benefícios físicos garantem o upgrade na cama. “Essas aulas trabalham equilíbrio, deixando a mulher mais forte, o que dá uma sensação de controle sobre o próprio corpo”, adiciona Solange.

COMPARTILHAR