Condição rara faz mulher chorar sangue e perder pele da boca

Por Ana Paula Ferreira

Foto Reprodução/Daily Mail Online

Uma mulher britânica teve um susto daqueles ao começar a chorar sangue. No início, Jo Daniels, de 42 anos, acreditava ter lepra – doença transmissível causada por uma bactéria. Contudo, seu diagnóstico indicou uma condição rara chamada síndrome de Stevens-Johnson.

Além de parecer estar resfriada o tempo todo, a mulher também sofreu com bolhas horríveis nos lábios, gengiva, nariz e olhos – o que a levava a ter lágrimas de sangue. Apesar de receber prescrição de antibióticos após uma visita ao hospital, levou três semanas até que as úlceras começassem a cicatrizar. Durante esse processo, Jo perdeu grandes pedaços de pele que descascaram de sua boca.

Foto Reprodução/Daily Mail Online

“Eu estava convencido de que iria morrer. Os sintomas eram horríveis e diferentes de tudo que eu já tinha ouvido falar antes”, relatou ela ao Daily Mail Online. “Foi como ter queimaduras graves em toda a boca, nariz e olhos, alem de uma dor constante, que me incapacitava de comer ou beber qualquer coisa além de pequenas quantidades de água”, completou.

“Partes do meu rosto estavam começando a cair e eu me lembro de um dia encontrar um pedaço grande de algo na minha boca. Foi então que percebi que era uma parte do interior da minha bochecha que tinha saído.”

Como os sintomas começaram

Jo desenvolveu uma tosse no início do ano, que considerou ser o início de um resfriado. Contudo, cinco dias depois, ela começou a ter grandes e dolorosas úlceras na boca e ao redor dos olhos. Seu médico suspeitou que ela poderia ter sarampo e prescreveu antibióticos.

“Eu sabia que não era sarampo”, contou ela. “Naquela fase, meus sintomas eram tão ruins que eu estava tendo que engolir coágulos de sangue que estavam se acumulando no meu nariz. Eu estava constantemente cuspindo sangue. Mal consegui enxergar porque meus olhos estavam sangrando. Eu estava apavorada.”

Com isso, em março a britânica procurou ajuda no Morriston Hospital (Reino Unido). Após alguns exames de sangue, ela foi finalmente diagnosticada. Os especialistas acreditavam que a doença foi desencadeada por uma infecção e que seu sistema imunológico estava reagindo violentamente.

Leia mais

Dias antes de casar, noiva fica deformada por não passar creme no rosto
Mulher descobre ter alergia ao sol após perder visão e cabelo

Porém, mesmo sendo medicada com antibióticos e remédios anti-virais, os sintomas continuaram a piorar nas três semanas seguintes. “Eu não podia sair de casa ou fazer qualquer coisa porque não conseguia enxergar”, disse ela.

E quando, finalmente, as feridas começaram a cicatrizar, todo um novo conjunto de problemas começou. “Quando a pele começou a secar, grandes pedaços dela começaram a sair dos meus lábios e da minha boca. Foi horrível”, relembra.

Preocupada em se engasgar com a própria carne, Jo precisou ser monitorada por sua mãe durante as poucas horas de sono que conseguiu ter.

Foto Reprodução/Daily Mail Online

Depois de três semanas agonizantes de tratamento, Daniels finalmente conseguiu voltar a enxergar e comer de novo. Contudo, ainda assim nada voltou a ser como antes.

“Minha visão agora está muito ruim por causa das feridas que estavam nos meus olhos”, disse Daniels. “Mas, acima de tudo, sinto que perdi completamente minha confiança e minha aparência. Agora eu tenho dentes ruins, minhas gengivas diminuíram e meus olhos estão quase sempre inchados.”

“É tão raro que haja tão pouca informação disponível sobre isso”, reclamou ela. “Até os profissionais da área médica não conseguiam me dizer nada sobre isso. Sinto que não posso dormir em paz até que alguém possa me dar algumas respostas e me garantir que isso nunca mais acontecerá comigo.”