Criaram um anel que pode – finalmente! – acabar com o ronco

Por Redação WH Brasil

Anel que pode acabar com o ronco
Foto Shutterstock

A tecnologia está cada vez mais a favor da nossa saúde. Dessa vez, a mais nova invenção é um anel que pode acabar com o ronco por detectar apneia – condição de sono perigosa, que pode até mesmo aumentar riscos de ataques cardíacos e derrames.

Esse acessório, segundo o Daily Mail Online, poderia ajudar a tornar o diagnóstico mais simples, evitando, assim, problemas como os citados acima.

Até hoje, isso só era possível usando um equipamento de teste caseiro que consiste em faixas justas ao peito para medir movimentos respiratórios, um monitor de frequência cardíaca, um sensor de respiração no rosto e um sensor de oxigênio. Ufa!

Leia mais

Afinal, dormir no chão é bom para a coluna?
Veja como o sono pode te deixar mais forte
Dicas para melhorar a qualidade do seu sono

Existe também a opção de passar uma noite em uma clínica de sono para fazer uma polissonografia. Trata-se de um teste que registra ondas cerebrais, níveis de oxigênio, frequência cardíaca, respiração e até movimentos dos olhos e das pernas durante o sono. Contudo, o novo acessório pode ser muito mais prático e conveniente que as possibilidades anteriores.

Mas como funciona esse anel?

Feito de silicone macio, ele é embalado com sensores que rastreiam as mudanças nos níveis de oxigênio no sangue enquanto o paciente dorme.

A queda nas leituras de oxigênio no sangue durante a noite é um dos principais sinais da apneia do sono. Isso porque os músculos das vias aéreas relaxam de tal forma que ficam completamente obstruídos. Consequentemente, a respiração é interrompida por pelo menos dez segundos. Com isso, a quantidade de oxigênio que entra na corrente sanguínea é reduzida.

O anel é usado no dedo médio ou anelar. Anexado a ele há uma pequena cápsula contendo pequenas lâmpadas que irradiam luz vermelha através da pele. Esta luz penetra os minúsculos vasos sanguíneos perto da superfície e é absorvida por uma proteína no sangue chamada hemoglobina, que transporta oxigênio pelo corpo.

O sensor mede quanta luz está sendo absorvida, o que apontaria se a pessoa está com baixos níveis de oxigênio.

Além disso, o anel também possui um acelerômetro – um dispositivo que monitora os movimentos do braço durante a noite. Isso pode determinar com que frequência a pessoa acorda e ajuda sua posição corporal porque a respiração foi interrompida.

A pessoa deve retirar o anel pela manhã. Após isso, os dados são enviados sem fio para um app em um celular. Em seguida, os resultados são compartilhados com um médico.

O dispositivo estará disponível no Reino Unido este ano ao valor de £ 75 (cerca de R$ 370).

Em entrevista ao Daily Mail Online, Neil Stanley, especialista em sono independente e membro da British Sleep Society (Inglaterra), afirma que o novo anel pode ser especialmente útil para quem dorme sozinho. “A maioria das pessoas poderia simplesmente perguntar ao parceiro se parasse de respirar durante a noite”, diz ele. “Se a resposta for sim, eles devem lançar mão do anel. A apnéia do sono é atualmente subdiagnosticada e, portanto, qualquer coisa que melhore a identificação é uma coisa boa.