5 passos para amar o treino de musculação

Peter Yang

Por Clarissa Viana

A principal reclamação é a monotonia dos treinos, que se baseiam em séries e repetições dos mesmos movimentos. O problema é que essa é justamente a base da atividade, pois aprimora a execução e favorece o ganho de massa muscular.

A sensação de mesmice pode desaparecer do treino com algumas modificações bem simples.

1Inclua aeróbicos na série

Isso ajuda a tornar a atividade não só mais dinâmica, como também mais intensa – leia “com maior queima de calorias”. Uma dica é fazer o treino em forma de circuito, adicionando, por exemplo, polichinelos ou pulo de corda entre um aparelho e outro.

2Modifique o circuito

O diretor técnico da rede Runner de academias, Guilherme Lacerda, de São Paulo, detalha: “Alterar o treino com frequência é importante, mas é preciso levar em consideração o estímulo no qual ele está baseado – pode ser tensional, se o treino é focado na massa muscular, ou metabólico, se os exercícios favorecem também o condicionamento cardiovascular.” Leve sua preocupação sobre a monotonia do treino a seu professor e peça para que ele determine um espaço menor de mudança da série, usando diferentes aparelhos para alcançar o mesmo objetivo.

3Personalize seu treino

Nada de copiar o treino daquela colega com o corpo ma-ra-vi-lho-so. “Na musculação, a falta de individualização e personalização dos exercícios é um fator que pode desmotivar, pois uma série pronta normalmente não atende às preferências e necessidades de cada pessoa”, explica Monica Marques, de São Paulo, diretora técnica da Companhia Athletica. Sempre aponte ao profissional que irá montar sua série todo seu histórico médico e fraquezas – seja joelhos que vivem estalando, lordose ou falta de força nos braços. “O professor tem como principal responsabilidade entender a necessidade do aluno, perceber quais são as barreiras para a prática de exercícios e pensar em estratégias que contornem esses obstáculos”, afirma Eduardo Netto, do Rio de Janeiro, diretor técnico do grupo Bodytech. Lembre-se que os treinos, as cargas e os exercícios devem ser coerentes com a sua realidade: não queira realizar repetições com mais peso do que seu corpo aguenta ou menos do que precisa para evoluir.

4Encare a musculação como um adicional

Apaixonada por algum esporte? Utilize a musculação como um complemento ao treino, para fortalecer o corpo, prevenir lesões e melhorar o sistema cardiovascular. Se você não é fã de atividades esportivas mas tem um objetivo específico, como a perda de peso ou a prevenção de doenças, olhe para a academia como um acelerador das conquistas. Ricardo Lima, professor da Metamorphose Assessoria Esportiva, de São Paulo, não é do time de amantes da academia, mas adota a atividade pelos benefícios. “Digo que musculação é um mal necessário, deve ser adotada mesmo que seja encarada como um remédio que beneficia as articulações, por fortalecer toda a região adjacente e pela definição muscular”, explica. É preciso ser coerente com os seus objetivos – assim, os resultados aparecem e a motivação também.

5Descubra sua real motivação

O que a levou a se inscrever na academia pode ter origem intrínseca ou extrínseca, ou seja, podem estar relacionadas a um fator interno (como a superação de um obstáculo ou a melhora da autoestima) ou externo (como fazer parte de um grupo ou chamar a atenção de alguém, seja família, amigos ou um potencial romântico). “Uma pessoa que busca reconhecimento pode se dar melhor com um treino que ofereça ganhos visíveis a curto prazo, por exemplo”, explica Fernanda Vilela, psicóloga esportiva do CareClub, em São Paulo, enquanto outras vão encontrar encorajamento sabendo que a atividade é o que elas precisam para se sentirem melhor consigo mesmas. De qualquer maneira, o seu treino deve ser focado no seu real motivo.

COMPARTILHAR